Globo

Após denúncias, filme “A Lagoa Azul” sofre restrições do Ministério da Justiça

Reprisado inúmeras vezes, filme “A Lagoa Azul” é reclassificado (Foto: Divulgação)

A Globo exibiu recentemente o filme “A Lagoa Azul” na “Sessão da Tarde”, assim como faz há várias décadas, porém, desta vez, o Ministério da Justiça acabou recebendo uma denúncia, “enviada por um cidadão”, que não teria gostado das cenas consideradas impróprias para crianças.

O filme contava com classificação livre, no entanto, após essa denúncia, o filme terá agora algumas restrições, passando a ser “não recomendado para menores de doze anos, por conter: violência e conteúdo sexual”. A informação consta no site do instituto governamental.

A seguir, confira na íntegra o texto do MJ:

Despacho nº 146/2017/COCIND/DPJUS/SNJ
Processo MJ nº: 08017.000382/2017-51
Programa: “A LAGOA AZUL – VERSÃO EDITADA”
Emissora: Rede Globo

CONSIDERANDO a denúncia enviada por cidadão, que informa sobre uma suposta incompatibilidade entre o conteúdo apresentado e a autoclassificação do filme como “Livre”.
CONSIDERANDO que a emissora exibiu a obra como “Livre” baseando-se na publicação do D.O.U do dia 01 de agosto de 1995, Portaria 00080, não incorrendo, portanto, em qualquer irregularidade.
CONSIDERANDO o estabelecido no Artigo 28, Parágrafo Único, que especifica que “mediante denúncia fundamentada ou monitoramento, será instaurado processo administrativo e o DPJUS poderá reclassificar de ofício a obra audiovisual autoclassificada
CONSIDERANDO que durante a análise do filme “A LAGOA AZUL – VERSÃO EDITADA” foram identificadas as tendências de: “ato violento” e “apelo sexual”, sendo este segundo de forma reiterada, predominantemente incompatível com a publicação realizada anteriormente, resolve:
Reclassificar ex-ofício a obra “A LAGOA AZUL – VERSÃO EDITADA” como “não recomendado para menores de doze anos”, por conter: violência e conteúdo sexual.

Curta o TV Foco no Facebook!

PUBLICIDADE

Comentários recentes