CHOCANTE

Banco quebrado, 5 bilhões em dívidas no Bradesco e fim confirmado por Bonner: JN crava 3 terrores de falência


3 terrores de falência com 5 BI em dívidas, fim confirmado por Bonner e mais (Foto: Reprodução/ Internet)

Confira nesta matéria 3 anúncios sobre empresas feitos por William Bonner no Jornal Nacional

O âncora do Jornal Nacional, William Bonner, cravou no noticiário 3 casos de terrores de falência de empresas gigantes. O primeiro deles é sobre uma dívida absurda de R$ 5 bilhões no Bradesco, mas também teve um banco quebrado, além de outra empresa que teve o fim confirmado pelo jornalista. Confira a seguir, todos os detalhes sobre cada um desses assuntos surpreendentes.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Telegram

Americanas

Sabe-se que a Americanas deve em torno de R$ 5 bilhões ao Bradesco. Para melhor entender, em dezembro de 2023, numa edição do JN, foi noticiado que os credores aprovaram o plano de Recuperação Judicial das Americanas. Bonner ainda informou que, a empresa estava devendo no total cerca de R$ 50 bilhões a bancos, fornecedores e prestadores de serviços. Acionistas de referência ficaram de injetar R$ 12 bilhões.

“Os credores aprovaram o plano de recuperação das lojas americanas. São bancos, fornecedores, que cobrem serviços que representam 97% da dívida das americanas, estimada em R$ 50 bilhões e que será renegociada. Os acionistas de referência vão injetar cerca de R$ 12 bilhões no aumento de capital da empresa”, disse Bonner.

Lojas Americanas (Reprodução/Foto: Lojas Americanas/Divulgação)
Lojas Americanas (Reprodução/Foto: Lojas Americanas/Divulgação)

Segundo informações do portal ‘Folha de São Paulo’, dentre as empresas a quem as Americanas contava com dívidas, o Bradesco é o maior deles, com mais de R$ 5 bilhões devidos pela empresa. A discussão em torno das fianças era um dos principais impeditivos para que credores e a varejista entrassem em acordo com os termos da Recuperação Judicial.

Receba nossas notícias diretamente no seu WhatsApp


Já conforme informações do portal ‘O Globo’, diante de toda situação das Americanas, desde o início da sua crise, foram encerradas 121 lojas dentro em 2023. Ao todo, a empresa teve um prejuízo líquido de R$ 13 bilhões em 2022 e R$ 6,2 bilhões em 2021, além de informar a perda de R$ 25,2 bilhões após o esquema fraudulento.

Veja também

Vale dizer que, a empresa encontra-se atualmente em recuperação judicial e com o projeto sendo anunciado até mesmo por William Bonner no Jornal Nacional, a Americanas possui grandes chances de dar a volta por cima.

Grupo Itapemirim

O segunda caso, trata-se do Grupo Itapemirim. A empresa de transporte rodoviário e aéreo estava em recuperação judicial desde 2016, com dívidas de mais de R$ 2 bilhões de reais. Nos aeroportos de todo o Brasil, era possível ver a atuação da empresa por meio da sigla ITA.

“Em janeiro, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) proibiu que a Itapemirim retomasse a comercialização de passagens aéreas. O Grupo Itapemirim estava em recuperação judicial desde 2016. Em setembro de 2022, decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) decretou a falência do grupo”, anunciou Bonner em uma edição do Jornal Nacional em setembro de 2022.

Justiça decretou falência do Grupo Itapemirim - Foto: Reprodução/Internet
Justiça decretou falência do Grupo Itapemirim – Foto: Reprodução/Internet

Após anos em gestação, o negócio ficou no ar por cinco meses, entre acusações de atrasos de salário e de outros direitos de colaboradores. No fim de 2021, pouco antes do Natal, a empresa cancelou subitamente seus voos, deixando milhares de passageiro sem atendimento.

Assim, o Procon São Paulo acabou registrando na época 2.352 reclamações contra a empresa. Ao todo, na época, estima-se que 133 mil passageiros foram afetados com o cancelamento das viagens.

O terceiro caso é sobre um banco norte-americano

Em março de 2023, no JN, William Bonner deu informações a respeito da venda do Silicon Valley Bank ao First Citizens. Desde 2011, eles operavam financiando diversas startups no mercado, mas tiveram o fim decretado na América do Norte.

Silicon Valley Bank é o banco que teve a falência confirmada no Jornal Nacional (Foto: Reprodução/ Internet)
Silicon Valley Bank é o banco que teve a falência confirmada no Jornal Nacional (Foto: Reprodução/ Internet)

Por anos, o SVB teria realizado investimentos que não deram certo e aumentaram a crise. O sucessor, então, assumiu os ativos do grupo, avaliados em US$ 110 bilhões, além de depósitos de 56 bilhões e empréstimos de 72 bilhões.

Qual a diferença entre falência e recuperação judicial?

Segundo informações do portal ‘Vem Pra Dome’, ambos os institutos visam a satisfação de dívidas de uma empresa. Contudo, a principal diferença está na continuidade ou não do empreendimento. No caso da recuperação judicial, se ganha tempo para recuperar a capacidade de gerar resultados na empresa.

Por outro lado, na falência, não existe a reestruturação do negócio e ele acaba fechando as portas. A ideia por trás da recuperação judicial é manter o negócio ativo, gerando empregos e possibilitando que a empresa consiga pagar as suas dívidas. Na falência, ocorre o encerramento do negócio, que é considerado irrecuperável.

🚨 Davi troca medicina por programa na TV + Piovani ESCULACHA Neymar + Mion reage a boatos de traiç@o         

NOS SIGA NO INSTAGRAM

Logo do TvFoco

TV FOCO

📺 Tudo sobre TV e Famosos que você precisa saber.

@tvfocooficial

SEGUIR AGORA

Autor(a):

Eu sou Kelly Araújo, formada em Biologia pelo IFCE e atualmente estudo Engenharia de Produção Civil na mesma instituição. Escrevo sobre televisão e o universo dos famosos desde o ano de 2014. Sou apaixonada por falar sobre os bastidores da TV, gosto de acompanhar a vida dos famosos nas redes sociais e amo assistir um reality show de confinamento. Minhas redes são: Email: kelly.araujo@otvfoco.com.br