Celebridades

André Gonçalves compara Jesus com Game of Thrones e se incomoda com visual para a novela

André Gonçalves será o Barrabás em Jesus (Foto: Divulgação/Record)
André Gonçalves será o Barrabás em Jesus (Foto: Divulgação/Record)

Após uma carreira extensa de sucessos na Globo, o ator André Gonçalves aceitou o convite da Record para fazer a novela Jesus. Na trama, ele será Barrabás, homem que nos Evangelhos tem mais destaque nos momentos que antecedem a crucificação de Jesus. Criminoso, ele será escolhido pelo povo para ser liberto enquanto Jesus será mantido como condenado.

Para a caracterização do personagem, André Gonçalves teve que deixar barba e cabelo compridos. Em entrevista ao site Notícias da TV, ele revelou não aguentar mais o novo visual. “Gostar não gosto, mas a gente aguenta. Sempre fui cabeludo, mas a barba nunca tive costume de cultivar. Acho que até o final da novela vai crescer mais ainda. Tô doido pra raspar o cabelo, mas tem que esperar acabar”, disse.

+Segundo Sol: Salva por Luzia, Manuela pede perdão e se reconcilia com a mãe

André também revelou como reagiu ao convite para fazer o folhetim. “É um universo que eu acompanho muito, assisto a séries sobre isso, filmes. Sempre me imaginei em Game of Thrones, essas coisas. Ficava pensando: ‘Nossa, queria ter essa roupa, usar esse cabelo, ter essa espada’. A gente fica louco, né? De repente, me cai na mão um personagem que é tudo isso que eu esperava e precisava como ator”, contou ele, que contou como será o Barrabás da Record.

Acho que não vou apanhar na rua, as pessoas vão gostar do Barrabás. Ele luta pelo povo, contra os impostos altos, luta pela religião. E ele tem uma dor. Naturalmente depois ele se transforma, fica mais radical, mas a princípio são características que nós precisamos hoje, alguém que lute por nós contra o poder instituído. Eu estou fazendo para que as pessoas o amem”, disse.

André Gonçalves no Programa do Porchat antes da mudança de visual (Foto: Reprodução)

André ainda falou sobre a mudança de emissora após sua saída da Globo, onde estreou em 1993. Ele comemorou a nova política de contratos adotada pela televisão brasileira. Ao contrário de antes, quando a maioria dos atores eram contratados por um tempo determinado, agora eles podem ser contratados por obra.

Eu tô me sentindo numa família muito grande. Acho que é normal, hoje existe um mercado mais democrático para todo mundo que trabalha nessa área. É muito natural que isso aconteça [a troca de emissora]. E hoje em dia as equipes se conhecem, fica mais fácil. Estar aqui pra mim é um privilégio muito grande. Além do que tenho três filhos pra criar, preciso trabalhar“, contou.

TV Foco no Youtube

Sobre o autor

Fernando Lopes

Escreve sobre televisão desde 2013.