Celebridades

Celebridadesighome

Ao vivo, jornalista do SBT relata desespero, ameaça e agressão de Talibãs: “Torturados”

Sérgio Utsch conversando com um grupo de Talibãs – Reprodução

Sérgio Utsch está no Afeganistão mostrando como está o país após o Talibã voltar ao poder e relator cenas de horror ao vivo no SBT

O jornalista Sérgio Utsch, do SBT, está no Afeganistão realizando uma série de reportagens exibidas no principal jornalístico da emissora, SBT Brasil, para contar como, de fato, está o país após a tomada do poder pelo grupo extremista Talibã.

Nesta segunda-feira, Sérgio Utsch recebeu o aval do grupo para entrar ao vivo no programa Vem Pra Cá por apenas cinco minutos. Vigiado a todo momento, o repórter conta como está sendo os dias no Afeganistão e enfatiza o clima tenso no local.

Para quem não sabe, o Talibã é um grupo extremista que retomou, à força, o poder do Afeganistão, após os Estados Unidos retirarem por completo suas tropas depois de 20 anos no país. Com isso, o grupo passou a governar e aplicou medidas extremamente rigorosas, conservadoras e controladoras. Aqueles que não seguirem as normas, estão sujeitos à prisão, espancamento e até mesmo à morte.

Foi exatamente isso que o repórter do SBT relatou em sua breve participação ao vivo no Vem Pra Cá. “Quais são as suas impressões, sensações?”, questiona Patrícia Abravanel. “Olha, eu te digo, o povo afegão, assim como o paquistanês, é um povo muito amigável. Apesar de todas as dificuldades, de nós nos sentirmos vigiados o tempo inteiro, a gente tem muita muita gente que é, literalmente, ameaçada pelo Talibã, mas a situação de fato é muito tensa”, inicia.

“Eu passei aqui por um momento de estar sentado com os talibãs comendo melancia, num momento de descontração, mas não tem nada de descontração. A gente se sente vigiado o tempo inteiro e sente que, em qualquer momento, algum soldado vai agir. A reação deles a gente não consegue prever, portanto, é tensão”, conta Sérgio Utsch.

Veja também

Sérgio Utsch conversando com um grupo de Talibãs - Reprodução
Sérgio Utsch conversando com um grupo de Talibãs – Reprodução

RISCO À MÍDIA

Em seguida, Patrícia Abravanel questiona o que poderia acontecer caso Sérgio Utsch desse uma “escorregada” e fizesse algo que não agradasse ao grupo extremista Talibã:

“Há um risco da gente ser agredido, a palavra dele foi muito clara na mensagem que eles deram pra gente, cobriu algum evento ilegal, manifestação contra o Talibã, vocês podem ser agredidos, presos e ter os equipamentos confiscados. É tudo que eu não quero nesse momento”, admite Sérgio Utsch.

Aproveitando o gancho, Patrícia Abravanel questiona se estas medidas já foram aplicadas em algum jornalista e Sérgio Utsch confirma que sim. Na semana passada, dois repórteres afegãos cobriam uma manifestação feminina contra o grupo extremista, eles foram capturados e açoitados pelo Talibã. “Sim, Patrícia. Eles foram presos e barbaramente torturados”, conta.

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários