Band

Diretor do Pânico entrega o que motivou fim do programa e relação nos bastidores é exposta: “Ninguém se aguentava”

Pânico chegou ao fim em 2017 na Band. (Foto: Montagem/Reprodução)
Pânico chegou ao fim em 2017 na Band. (Foto: Montagem/Reprodução)

Ex-diretor e produtor do Pânico, Marcelo Bolinha revelou detalhes inéditos dos bastidores e o que causou o fim do programa

Em 2017, já amargando baixa audiência, com a saída de nomes de peso, além do alto custo de produção na Band, o Pânico chegou ao fim de forma melancólica, após 14 anos — também somando os nove anos de RedeTV!.

E três anos após o fim do humorístico, Marcelo Picon, o popular Bolinha, em entrevista ao canal do lutador Demian Maia no YouTube, resolveu revelar alguns detalhes dos bastidores e o que teria provocado o fim da atração, que já foi uma grande referência na televisão brasileira.

+ Manu Gavassi abre o jogo sobre estratégia para entrar no BBB e revela que disse “não” para a Globo: “Super difícil”

+ Briga ao vivo com Carla Cecato, menosprezada pela Record e fora do ar: Roberta Piza é tirada de jornal

+ Rodrigo Faro, em meio a crise, tem verdade sobre casamento de anos jogada no ventilador: “Eu conheço”

Ex-produtor e diretor de externas do Pânico, mas também conhecido do público pelas suas aparições em frente às câmeras, Bolinha relembrou a época de “vacas magras” do programa, em seu início, na RedeTV!.

“Quando o programa começou, eu usava o meu carro para fazer [gravações] externas, colocava gasolina do meu bolso, e ninguém estava nem aí. Tinha uma parte [do elenco] do programa que ganhava dinheiro para caramba, e os ‘peões’ embaixo quebravam a cabeça para fazer as coisas”, disse.

O diretor deixou claro que sempre gostou do humor politicamente incorreto, que era a principal marca do Pânico, mas revela que “houve muita censura” quando a trupe se transferiu para a Band.

Marcelo Bolinha foi diretor do Pânico. (Foto: Divulgação)
Marcelo Bolinha foi diretor do Pânico. (Foto: Divulgação)

INÍCIO DO FIM

Bolinha ressaltou que no início da sua fase na Band (as duas primeiras temporadas), o humorístico ainda conseguia registrar alta audiência, mas entrou em queda a partir do terceiro ano, e que a duração das edições pode ter contribuído para o desgaste.

“Era um programa muito longo [três horas]. Era uma coisa que se discutia muito, e eu falava: ‘diminui para duas horas, uma hora e meia, para dar longevidade’, mas por motivos ‘n’ não aconteceu isso”, revelou.

O diretor também levantou a possibilidade de que o longo tempo de relação entre os integrantes do elenco provocou um desgaste nos bastidores. “Era um casamento de 14 anos, que no final ninguém se aguentava, a real é essa. É muito difícil alguém falar isso, os caras sempre vão ficar pisando em ovos, mas eu falo: ninguém se aguentava mais”, disparou.

“O último ano foi totalmente empurrado com a barriga, foi tipo ‘fod*-se’. No meu último ano também estava com problemas de saúde, então liguei no automático, tinha um diretor novo… Na real, fiz [o programa] com uma put* má vontade”, completou.

Vale lembrar que do elenco original do Pânico, praticamente todos os integrantes tomaram rumos diferentes em projetos e emissoras distintas. A marca segue viva apenas no rádio, através da Jovem Pan, onde surgiu nos anos 90, e ainda com o apresentador Emílio Surita no comando.

Confira a audiência detalhada de todas as novelas da Globo semana a semana aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Renan Santos

Atuando também como roteirista de TV e cinema, Renan é redator e colunista do TV FOCO desde 2014, noticiando e criticando o mirabolante e imprevisível universo televisivo e dos famosos.