Colunas Foco na TV

Em 1993, Tim Maia fura com Faustão, é vetado da Globo e comunicado de chefão da emissora vem à tona

Tim Maia no Domingão do Faustão, da Globo, em 1989. (Foto: Reprodução)
Tim Maia no Domingão do Faustão, da Globo, em 1989. (Foto: Reprodução)

Um dos maiores músicos brasileiros da história, Tim Maia já entrou em pé de guerra com a Globo nos anos 1990

Em 15 de março de 2018, completou-se 20 anos da morte de Tim Maia, um dos músicos brasileiros mais prestigiados da história. E no início daquele mês, a Globo preparou uma homenagem especial ao cantor, com uma matéria e um musical no Fantástico.

Quem viu aquela homenagem, mal pode imaginar que a relação entre Tim e a Globo já foi bastante conturbada, especialmente no início dos anos 1990, quando o cantor chegou a ser proibido de pisar na emissora carioca.

Apesar do grande talento nos palcos, Tim Maia era conhecido por seu gênio forte, e viveu alguns momentos conturbados em sua carreira, quando chegou a furar com contratantes e faltar shows, até mesmo em virtude de seus problemas com drogas. E um dos furos mais marcantes do cantor ocorreu justamente com a Globo.

+ Segredo revelado: saiba por que Hebe Camargo nunca foi contratada pela Globo

Em 20 junho de 1993, o Domingão do Faustão anunciava Tim Maia como uma das principais atrações do programa. Porém, o cantor pegou a todos de surpresa e, sem justificativas, não deu as caras no dominical, algo que revoltou o canal.

Quatro dias após o ocorrido, a Globo tomou uma atitude radical. Chefão da emissora na época, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, escreveu um memorando, endereçado aos diretores Roberto Talma, Mário Lúcio Vaz, Walter Lacet e Mariozinho Rocha, informando que Tim estava proibido de participar de qualquer programa da emissora a partir daquele momento.

+ Revolta, dispensas e interferências da igreja: o tumultuado ambiente dos autores de novelas na Record

“Tendo em vista o comportamento reincidente do cantor Tim Maia, como está registrado no relatório anexado do Sr. D. Costa [Deto Costa, então diretor do Domingão do Faustão], informamos que está proibida, até segunda ordem, a sua presença em qualquer programa da Rede Globo”, dizia o memorando, que chegou a ser revelado pela jornalista Cristina Padiglione no Jornal da Tarde na época.

Cantor era conhecido por seu temperamento forte. (Foto: Divulgação)
Cantor era conhecido por seu temperamento forte. (Foto: Divulgação)

Padiglione procurou Tim Maia, e após muita insistência, conseguiu falar com o cantor por telefone e compartilhar a sua versão do caso na mesma publicação. Tim, no entanto, colocou mais lenha na fogueira ao soltar o verbo contra a Globo e o próprio Boni.

“Eu sabia! Inclusive, eles pararam de tocar a minha música [Essa Tal Felicidade] na novela [Renascer]. Eu vou ligar pra Som Livre [gravadora da Globo e de Tim], vou acionar o meu advogado, vou acionar esse Boni, que eu não preciso dele, nem da Globo”, afirmou.

+ Em 2006, Globo apela e escandaliza público com Ana Paula Arósio nua e relato sexual de mulher em novela

Tim Maia afirmou que estava “hipercansado” após a realização de um show, e que por isso não apareceu no Domingão. O cantor ainda sugeriu que, por não ter contrato com a emissora, não tinha a obrigação de comparecer ao programa.

“Faz cinco anos que eles me boicotam”, acusou o músico. “Eu fui ao programa da Xuxa. Esse Boni, alguém tem que acabar com ele”, disparou.

+ Por que Éramos Seis fracassa na Globo e ainda não repete sucesso da versão do SBT?

Mais de vinte anos após o ocorrido, Boni finalmente quebrou o silêncio e falou sobre esse veto de Tim Maia na Globo. O ex-diretor, no entanto, garantiu que não tinha problemas pessoais com o cantor, e que as restrições com ele sempre ficaram no campo profissional.

Boni assinou memorando proibindo Tim Maia na Globo. (Foto: Divulgação)
Boni assinou memorando proibindo Tim Maia na Globo. (Foto: Divulgação)

“Já havia uma determinação anterior proibindo o Tim de ser chamado para programas ao vivo. O curioso é que nem quando era gravado ele vinha. Mas os músicos cobravam da Globo e éramos obrigados a pagá-los. Isso gerou esse memorando. Pessoalmente, nunca houve problemas da minha parte. Somente uma atitude profissional. Depois nos falamos e até marcamos um almoço. Mas ele, como sempre, não veio”, declarou Boni, também em entrevista à jornalista Cristina Padiglione.

“As ligações com Tim Maia eram excelentes. Ele compôs e gravou a canção João Coragem para a novela Irmãos Coragem, que praticamente o lançou na televisão em 70, quando voltou dos Estados Unidos. Lançou várias canções na Som Livre e teve várias canções em novelas”, disse o direitor.

+ Éramos Seis, Carrossel ou Chiquititas? Descubra qual é a melhor novela da história do SBT

“Foi no Fantástico que lançou seu disco Racional e onde deu sua primeira entrevista sobre o Universo em Desencanto. Depois começou a faltar e isso colocava a emissora em descrédito porque parecia que as chamadas anunciavam o que a emissora não tinha. Passamos a cortá-lo dos programas ao vivo e depois dos gravados. Uma reaproximação foi tentada pelo Chico Recarey, sem sucesso”, finalizou.

+ Ninguém quer? Por que o BBB com famosos pode se tornar um dos maiores fiascos da Globo

Em 1998, poucos dias antes da sua morte, Tim Maia até chegou a realizar um show que seria exibido pelo Multishow, canal pago que pertence ao Grupo Globo, mas acabou passando mal e abandonou a apresentação. Apesar disso, a relação do cantor com a Globo permaneceu conturbada até os seus últimos dias de vida.

Porém, o prestígio e a reverência do público à carreira artística de Tim Maia fizeram com que a Globo, aos poucos, deixasse os ressentimentos de lado, e com o tempo também passasse a exaltar uma figura que, apesar das polêmicas, se eternizou e entrou para a história da música brasileira.

Confira a audiência detalhada de todas as novelas da Globo semana a semana aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Renan Santos

Atuando também como roteirista de TV e cinema, Renan é redator e colunista do TV FOCO desde 2014, noticiando e criticando o mirabolante e imprevisível universo televisivo e dos famosos.