Celebridades Globo Jair Bolsonaro

Em meio a guerra com a Globo, Bolsonaro investe em novas medidas e é acusado de perseguição após atacar atores

Em meio a guerra com a Globo, Governo Bolsonaro agora quer saber como atores demoram os textos que recebem (Foto: Reprodução/Montagem TV Foco)
Em meio a guerra com a Globo, Governo Bolsonaro agora quer saber como atores demoram os textos que recebem (Foto: Reprodução/Montagem TV Foco)

Em meio a guerra com a Globo, Governo Bolsonaro toma nova medida junto à Receita Federal e agora pretender descobrir como atores decoram os textos que recebem

Parece que o clima dentro dos estúdios da famosa emissora carioca não está nada bom e vai permanecer assim durante muito tempo. Isso porque, já não é mais novidade para ninguém que dentre as diversas televisoras espalhadas pelo país, a Globo está com certeza entre as que mais estão sendo afetadas pelo atual presidente Bolsonaro e, pelo que tudo indica, as coisas estão prestes a piorar ainda mais.

Para quem não sabe, desde que o canal soltou uma matéria no Jornal Nacional co-relacionando o nome de Jair Bolsonaro aos assassinos da deputada Marielle Franco, a emissora vive em pé de guerra com o Presidente República; o parlamentar chegou a ameaçar a Globo mais de uma vez, deixando claro que ela não teria nenhuma regalia ou facilidade na hora de prestar contas ao Governo.

E olha lá, não estão tendo mesmo, o profissional está realmente cumprindo com a sua palavra há aproximadamente três semanas. No mês passado, o Blogue Radar, da Revista Veja, revelou que, segundo o advogado tributarista Leonardo Antonelli, a operação da Receita Federal em cima da emissora já afetou em média 30 globais -todos defendidos por ele- do primeiro escalão de atores e atrizes do canal.

O Governo notificou os contratados da Globo para que, no prazo de 20 dias, justifiquem a opção pelo contrato de pessoa jurídica, o famoso PJ, em vez do vínculo CLT com a Globo. Na época, os atores Reynaldo Gianecchini e Déborah Secco foram prejudicados após a matéria ir ao ar no Jornal Nacional e até falaram sobre o caso.

Reynaldo e Déborah Secco falam sobre possível perseguição de Bolsonaro (Foto: Reprodução/Montagem TV Foco)
Reynaldo e Déborah Secco falam sobre possível perseguição de Bolsonaro (Foto: Reprodução/Montagem TV Foco)

Agora, após tudo isso, a Receita Federal está realizando uma nova investida contra os artistas e está pedindo detalhamento sobre ‘recebimentos de texto, memorizações de falas e até ensaios. Segundo o Radar, a RF decidiu avançar no próprio campo da arte e enviou uma nova notificação contra os contratados pela emissora carioca.

Conforme o veículo, o “leão” abrirá prazo de 20 dias e ordenará a um ator da Globo que descreva “detalhadamente como é feita a prestação de serviços de ator, desde o momento do convite para a realização de determinado trabalho, recebimentos de texto, memorizações de falas, ensaios, etc”.

Vale ressaltar que a Receita também listou uma série de notas fiscais de serviços prestados à emissora em 2016 e mandou o artista detalhar os serviços que prestou e “fazer a devida correlação destes com a cláusula contratual que previa o pagamento”, além de “relacionar todas as obras audiovisuais e projetos artísticos dos quais tenha participado no âmbito do contrato” contou a Globo a Veja.

O Procurador do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Furtado, pediu ao tribunal a abertura de investigação contra o Fisco por possível perseguição política contra a empresa, tratada por Bolsonaro como inimiga.

Primeira notificação

No dia 17 de janeiro, o Radar Veja publicou uma matéria relatando a suposta perseguição da Receita Federal com a Globo. Na nota, o veículo informava que a RF está fazendo uma forte fiscalização com a Globo e todos os seus funcionários, principalmente os artistas dos canal, com relação ao método de contratação da platinada, que atualmente é PJ, ou seja, Prestação de Serviços. Segundo a publicação, a RF exigiu os contratos da Globo Comunicação e Participações S/A com celebridades da TV e do cinema brasileiro.

Com os dados recebidos, a Receita Federal teria ido além. Conforme publicado pela Revista Veja, há cerca de três semanas a RF passou a enviar cartas de autuação aos endereços de diferentes artistas contratados pela Globo. Nos ‘Temos de Início do Procedimento Fiscal’, a Receita dá aos autuados 20 dias para que os globais justifiquem ter optado pelo contrato de pessoa jurídica, PJ, ao invés do vínculo empregatício estabelecido pela CLT, o que faria com que a platinada tivesse que pagar os respectivos impostos de cada funcionário ao Governo.

Globo vira alvo de investigação da Receita Federal. Foto: Revista VEJA
Globo vira alvo de investigação da Receita Federal. Foto: Revista VEJA

TV Foco no Youtube

Sobre o autor

Sandra Cotrim

Sandra Cotrim, 21 anos, é formada em jornalismo, ama escrever e ler sobre o mundo dos famosos