O QUE ROLOU?!

Falência decretada: O fim de banco nº1 mais popular do Brasil após garantir milhões ao JN, da Globo

11/07/2024 às 6h00

Por: Lennita Lee
Imagem PreCarregada
Banco gigantesco e popular, cujo qual patrocinava o JN, acabou tendo falência decretada após escândalo (Foto Reprodução/Montagem/Lennita/TV Foco/Canva/Bradesco/Itaú)

Grande banco nacional, cujo qual ganhou uma popularidade absurda no país ao patrocinar o JN, acabou tendo sua falência decretada após uma série de escândalos e dívidas bilionárias

O sistema financeiro como um todo é fundamentais em qualquer sociedade. Afinal de contas é através dele que as pessoas, as empresas e o governo circulam a maior parte dos seus ativos, pagam suas dívidas e realizam seus investimentos.

Porém, nem mesmo os bancos, cujos quais são os pontos principais desse sistema, estão imunes à quebras e a passar por momentos conturbados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Falando nisso, um dos bancos mais populares que já surgiram em nosso país acabou tendo sua falência decretada e até mesmo foi alvo de escândalos.

Estamos falando do icônico Banco Nacional, instituição de origem mineira fundado ainda em 1944, cujo qual ganhou uma popularidade absurda em um espaço muito curto de tempo.

Continua após o Veja Também

Veja também

Famoso entre famosos …

Vale mencionar que uma das suas características mais marcantes do banco é que o mesmo era amado entre os fãs do esporte brasileiro, ainda mais tendo ninguém mais ninguém menos que Ayrton Senna como seu menino propaganda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inclusive, de acordo com o portal Wiki, esse fato marcou seu pioneirismo em marketing esportivo, em uma época que pouco se falava a respeito disso.

Fora isso, conforme exposto pelo Exame, a marca do banco ganhou ainda mais força quando passou a patrocinar não apenas o piloto Ayrton Senna como o Jornal Nacional*, da Rede Globo, cujo qual garantiu milhões com esse aporte para o programa jornalístico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

(*Para saber mais a respeito dessas ligações clique aqui*)

Inclusive na década de 70, o anúncio da abertura do JN ficava sempre por conta do Banco Nacional.

Ele também tomou para si  a estratégia de investir em esportes ao colocar sua marca no uniforme de Vasco e Fluminense nos jogos finais do Campeonato Brasileiro de futebol no ano de 1984.

Toda ousadia do banco fez com que a marca, conseguisse ficar marcada, até hoje, por sua ligação com o ídolo do automobilismo nacional, ganhando todo o respeito e o carinho dos brasileiros.

Falência decretada

Apesar de todo seu sucesso, o Banco Nacional teve sua falência decretada no ano de 1995, após a identificação de uma precária situação em que o mesmo se encontrava e que já havia sido sinalizada ainda no ano de 1988.

Naquele mesmo ano, de acordo com o portal Folha de S. Paulo, o Banco Central havia decretado também uma “intervenção branca” no Banco Nacional.

Aonde a instituição ficou sob regime de administração especial temporária (Raet) do BC até que fosse concluído o processo de fusão ou incorporação com o Unibanco, banco que na época acabou adquirindo seus ativos.

Pra piorar ainda mais a situação, no ano de 1997, um escândalo envolvendo o Banco Nacional explodiu.

Isso porque o  Ministério Público Federal havia acusado trinta e três pessoas de fraude entre elas o próprio controlador do banco Marcos Magalhães Pinto*

(Para saber mais a respeito da fraude clique aqui*)

Mais escândalos …

Fora isso, no anos 2000, foi descoberto pelo Banco Central um esquema de Ponzi, que funcionava como uma pirâmide financeira, aplicando vários golpes naquela época e isso só veio à tona tempos depois do fim da instituição.

E os escândalos não pararam por aí, mesmo depois de desativado, segundo uma publicação do The Intercept, ainda houve corrupção no processo judicial de encerramento.

No ano de 2002, o ex-controlador do banco foi condenado a 28 anos em primeira instância, mas a pena foi reduzida para doze anos em 2010.

Um ano depois foi declarada extinta, porém logo depois reinstaurada pelo Superior Tribunal de Justiça.

De acordo a Intercept, a instituição financeira escondeu a situação de insolvência, além de ter manipulando as operações de crédito, como se os devedores estivessem pagando normalmente. Eles encerraram as atividades com uma dívida de R$ 5,36 bilhões ao governo.

O que ocorreu com o que sobrou do Nacional ?

Como mencionamos acima, após a falência, o banco sumiu do mapa tendo os seus ativos* adquiridos pelo Unibanco (que atualmente é somente Itaú) e os passivos ficaram para o Banco Central.

(*O ativo é o conjunto de bens, créditos e direitos que compõem o patrimônio de uma pessoa ou empresa. Já o passivo representa as dívidas e obrigações dessa mesma pessoa (física ou jurídica) )

Em setembro do ano de 2014 foi noticiado que poderia haver negociações entre o bad bank (cujo controle acionário ainda pertencia à família Magalhães Pinto), e o banco BTG.

Tratava-se da de créditos tributários antigos e outros créditos provenientes do Fundo de Compensação de Variações Salariais (FCVS). Mas as negociações não sucederam na época.

Ao procurar declarações dos responsáveis pelo banco, da época, os mesmos não foram encontrados, porém, o espaço permanece aberto caso queiram expor sua versão dos fatos.

Agora é com o BTG …

Porém, no dia 03 de junho deste ano de 2024, essa famigerada negociação com o banco BTG finalmente saiu do papel.

De acordo com o portal O Globo, o BTG anunciou que fechou um acordo para a compra do Banco Nacional, cujo qual ainda se encontra em liquidação extrajudicial.

Conforme adiantou com exclusividade o colunista Lauro Jardim, o negócio ainda estaria sujeito à verificação de determinadas condições, entre elas a cessação do regime de liquidação extrajudicial, que será possibilitada pela liquidação ou saneamento de seus passivos financeiros.

Essa operação também terá de ser submetida à análise do Banco Central e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão que fiscaliza a concorrência no país.

Todos os ativos e passivos do Nacional entraram no negócio. Em comunicado ao mercado, o BTG informou que as duas partes chegaram a um acordo:

“A operação faz parte da estratégia de investimentos da área de Special Situations do BTG Pactual, focada na aquisição e recuperação de carteiras de créditos inadimplidos e compra de ativos financeiros alternativos, a qual acumula expertise com instituições financeiras em regime especial”

Ao adquirir bancos em liquidação, o BTG usa a carteira de crédito dessas instituições, que inclui títulos devidos pelo Tesouro, envolvendo Fundo de Compensações de Variações Salariais (FCVS), precatórios e créditos tributários.

🚨 Tati Machado titular do Encontro + Estrelas intocáveis da Globo + Datena fora da Band: "Não tem dinheiro"    

Banco Nacional
btg
Destaque
Jornal Nacional
William Bonner
Lennita Lee

Autor(a):

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida.Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever.Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia e os bastidores das principais emissoras brasileiras.Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ...Atualmente escrevo notícias sobre os últimos acontecimentos do cenário econômico, bem como novidades sobre os principais benefícios e programas sociais.

Botão de fechar
Utilizamos cookies como explicado em nossa Política de Privacidade, ao continuar em nosso site você aceita tais condições.