Agora

Agora

Prejuízo de 300 milhões: Heineken acaba de vender operações em país, se despede e lida com rombo faraônico

Heineken (Reprodução/Internet)
Heineken (Reprodução/Internet)

A Heineken, renomada cervejaria originária dos Países Baixos, tomou a decisão de sair do mercado russo como parte de uma medida estratégica.

A cervejaria neerlandesa Heineken informou hoje que concluiu sua retirada da Rússia, vendendo suas operações no país para o grupo russo Arnest por um valor simbólico de 1 euro.

A segunda maior cervejaria global explicou que a transação recebeu todas as aprovações necessárias, apesar de provavelmente resultar em uma perda extraordinária de 300 milhões de euros.

O processo de saída da Heineken da Rússia, anunciado em março de 2022 após a invasão russa à Ucrânia, enfrentou atrasos maiores do que o esperado, conforme admitiu a empresa. Dolf van den Brink, CEO da Heineken, observou que essa situação reflete os desafios substanciais enfrentados por grandes empresas industriais ao deixarem o mercado russo.

Muitas multinacionais buscaram se afastar da Rússia após as sanções impostas pelo Ocidente a Moscou, porém o Kremlin retaliou, confiscando alguns ativos. Algumas empresas estrangeiras que tentaram sair enfrentaram aumento significativo nos custos, uma vez que Moscou exigiu maiores descontos nos preços dos ativos a serem vendidos.

Troca-troca na TV: Eliana dá prova de poder, tira apresentadora da Globo no auge e a ‘arrasta’ para o SBT

Veja também

Com Tralli fora, substituta assume Jornal Hoje, dá prova explosiva na Globo e arrebenta: Audiências 26/8

Vladimir Putin, presidente da Rússia, assinou um decreto em julho para assumir o controle da subsidiária da Danone no país, bem como a participação da Carlsberg em uma cervejaria local. A Anheuser-Busch InBev também anunciou a intenção de se retirar de sua joint venture na Rússia com a empresa turca Efes.

Sobre a pressa gerada pelas experiências da Danone e da Carlsberg, o CEO van den Brink indicou que embora a preocupação tenha aumentado, a urgência não. Ele comentou que essas situações demonstraram o risco real de nacionalização, levando as empresas a buscarem controlar seus destinos.

A Heineken, que possuía sete cervejarias e 1.800 funcionários na Rússia, retirou a marca Heineken do país no ano passado, planejando encerrar a produção da cerveja Amstel nos próximos seis meses. O acordo com o Grupo Arnest, que não inclui opção de recompra, envolve uma licença de três anos para algumas marcas regionais menores, sem suporte ou receita da Heineken.

O Grupo Arnest, um importante ator no ramo de embalagens de latas e o principal produtor russo de aerossóis, também comercializa produtos cosméticos e domésticos. A Heineken ressaltou que a transação terá um impacto mínimo em suas perspectivas para o ano completo.

“Morreram”, Maju é obrigada a anunciar sequência de tragédias e Fantástico sofre queda: Audiências 27/8

A retirada da Heineken da Rússia é um exemplo das complexidades enfrentadas por empresas multinacionais que buscam ajustar suas operações em resposta a políticos e econômicos. A situação na Rússia, marcada por sanções internacionais, instabilidade econômica e mudanças regulatórias, influenciou a decisão da Heineken de focar em mercados mais estáveis e previsíveis.

A decisão da Heineken também reflete um cenário mais amplo de empresas estrangeiras reavaliando suas operações na Rússia devido à evolução das relações internacionais e das dinâmicas de negócios. A necessidade de adaptar-se a novos contextos políticos e econômicos muitas vezes resulta em uma análise profunda sobre como manter operações rentáveis e sustentáveis em meio a mudanças significativas.

Que que significa a palavra Heineken?

De fato, é pouco conhecido que o nome da cerveja Heineken tem raízes alemãs, refletindo sua origem na cidade portuária hanseática de Bremen, localizada no norte da Alemanha. A família Heineken, que residia nessa cidade, não apenas deu nome à cerveja, mas também possuía seu próprio brasão, estabelecendo uma forte presença na região. A história por trás do nome Heineken revela uma conexão histórica com a Alemanha, antes de a cervejaria ganhar reconhecimento internacional como uma das principais marcas de cerveja do mundo.

Informações retiradas do site Dinheirama.

Quem escreve

Larissa Santos

Cursando Relações Públicas na Universidade Anhembi Morumbi. Apaixonada por entretenimento e com passagens por outros sites como o AaronTuraTV, meu objetivo é informar com maior objetividade e clareza possíveis.