Intervenção do Banco Central e falência: O fim de banco popular gigante no Brasil após fusão forçada com rival


Imagem de falência e pessoa em caixa eletrônico (Fotos: Reproduções / TV Foco / Canva)

Em fevereiro de 1985, o Banco Central realizou uma intervenção em uma instituição financeira após uma fusão forçada com rival.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Telegram

Nesta segunda-feira, 06, iremos recordar o fim de um banco popular gigante no Brasil e sua falência.

Estamos falando do Banco Sul Brasileiro S/A. A instituição surgiu em 1972 com a fusão do Banco Nacional do Comércio (Banmercio), Banco da Província e do Banco Industrial e Comercial do Sul (Sulbanco).

Assim como outras instituições financeiras, o Sulbrasileiro, como era conhecido, tornou-se uma das grandes empresas para o público.

Receba nossas notícias diretamente no seu WhatsApp


No entanto, logo após a fusão forçada, o Sulbrasileiro teve problemas para escolher os dirigentes do novo negócio.

Veja também

A diretoria executiva foi composta por 11 membros: presidente, vice e três diretores originários do Banmércio, quatro do Sulbanco, um do Banco da Província, somente um não ligado a nenhuma instituição.

O grupo Sulbrasileiro chegou a possuir 378 agências e 20 mil empregados no estado do Rio Grande do Sul, segundo o portal Sind Bancários.

No entanto, a instituição financeira também passou a ter problemas com a superposição de agências.

Desse modo, na época, o Banco Sul Brasileiro S/A realizou alguns fechamentos, o que levou a demissão de muitos funcionários.

Nos dez anos seguintes o banco procurou se expandir pelo Brasil, enquanto eram fechadas 55 agências no Rio Grande do Sul.

Em São Paulo, 37 agências foram abertas, 10 no Rio de Janeiro, 12 em Minas Gerais, 5 em Santa Catarina e Paraná. No final de 1982, 379 agências estavam instaladas no país.

Porém, a empresa também possuía problemas na captação de recursos, ativo grande, baixa produtividade, carteira de crédito de baixa qualidade e baixa rentabilidade.

Pensando em manter o banco na ativa, no início de 1984, o Sulbrasileiro iniciou negociações para unir forças com o Grupo Habitasul e mais tarde com o Grupo Brasilinvest, de Mário Garnero.

No entanto, nenhuma das negociações foram para frente. Já no dia 7 de fevereiro de 1985, a empresa sofreu intervenção do Banco Central por problemas de liquidez.

Banco Sulbrasileiro (Foto: Reprodução / Internet)
Banco Sulbrasileiro (Foto: Reprodução / Internet)

FALÊNCIA

Por conta de pressão de políticos, em maio de 1985, a União criou o Banco Meridional do Brasil S/A, com a desapropriação das ações do Sulbrasileiro por meio de decreto-lei federal.

Como parte do patrimônio, o Banco Meridional recebeu do Sulbrasileiro cerca de 15 mil itens, incluindo 5 mil terrenos em dez praias, 80 a 90 mil hectares de propriedades rurais.

Na mesma época, outras instituições também tiveram problemas de liquidez, como Banco Auxiliar de São Paulo, Banco de Comércio e Industria do Estado de São Paulo (Comind) e Banco Maisonnave.

Banco Central (Reprodução: BC)
Banco Central (Reprodução: BC)

Como faço para consultar meu CPF no Banco Central?

O Banco Central tornou-se uma das principais empresas do país. Mas, poucos sabem que é possível consultar o CPF no portal.

De acordo com o portal oficial do banco, para consultar o CPF é feita pela internet. Veja os passos:

  • Entre no Portal Registrato, do Banco Central do Brasil;
  • clique em “Entrar no Registrato”;
  • ao clicar no link, você será redirecionado ao portal do Gov.br;
  • faça login na sua conta ou cadastre-se no Gov.br;
  • autorize o uso de dados e escolha o relatório que quer consultar.
Banco Central (Reprodução: Internet)
Banco Central (Reprodução: Internet)

🚨 Davi assume uso de dinheiro doado ao RS + Globo crava desfecho do campeão + Dona Déa é DETONADA         

NOS SIGA NO INSTAGRAM

Logo do TvFoco

TV FOCO

📺 Tudo sobre TV e Famosos que você precisa saber.

@tvfocooficial

SEGUIR AGORA

Eu sou Giovana Misson, jornalista por formação pela Universidade Mackenzie de São Paulo. Criadora de conteúdo digital e redatora sobre o mundo das celebridades desde 2019. Já trabalhei em assessoria de imprensa, local em que cuidei de marcas de peso e por redações focadas no entretenimento. Sou apaixonada por moda, beleza, música, séries e nunca perco uma fofoca. Faço matérias focadas em programas de televisão e sobre o cotidiano dos famosos, fato curioso é que sou muito fã de Virgínia Fonseca Email: giovana.misson@otvfoco.com.br