O QUE ROLOU?!

Luta contra falência: Padaria tradicional e gigante dos doces de SP afunda com dívida de R$ 73 milhões


Padaria tradicional luta contra falência após se afundar em dívidas (Foto Reprodução/Montagem/Lennita/Canva/Mercado&Consumo/Freepik)

Tradicional padaria de São Paulo luta para sobreviver após se afundar em dívidas e essa é a sua situação

No dia 16 de fevereiro de 2024, uma tradicional e movimentada Padaria, cuja qual possui uma marca gigante de doces, teve seu pedido de recuperação judicial aprovado, a fim de lutar contra o terror da falência.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Telegram

Estamos falando da Cepam, localizada na região da Zona Leste da cidade de São Paulo.

Fundadas em 1968 e 1973, respectivamente, as marcas pertencem às empresas Cepam Comércio de Alimentos e Village Cepam Indústria de Chocolates, ainda são geridas pelas famílias fundadoras.

Ela é reconhecida como um ponto de encontro de pessoas de todas as regiões da cidade, das mais variadas classes, origens, profissões e costumes que se encantam com a variedade de produtos e qualidade dos mesmos.

Receba nossas notícias diretamente no seu WhatsApp


Dívidas e o processo …

Conforme informações do portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios, da Globo, a mesma acabou se afundando com uma dívida de R$ 73,4 milhões.

Veja também

O processo segue em tramitação prioritária na 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do TJ-SP.

O processo foi protocolado pelo escritório Otto Gübel Sociedade de Advogados.

De acordo com a Folha de S. Paulo, as empresas ainda não se recuperaram dos baques da pandemia de Covid-19, quando precisaram contrair empréstimos para pagar salários e cobrir os custos de operação.

Vale destacar que as empresas já vinham dando sinais de crise e vinham tentando, por meios judiciais, estender o prazo para os pagamentos dos credores.

Em 2023, por exemplo, a Village anunciou a restrição da venda de ovos de Páscoa à loja de fábrica e à padaria.

Em agosto de 2023, a Cepam chegou a divulgar um comunicado para os clientes nas redes sociais esclarecendo que não fecharia as portas:

“Cepam esclarece categoricamente as recentes notícias veiculadas em redes sociais sobre um possível fechamento de suas atividades.

Tais informações são completamente infundadas e não possuem qualquer base com a realidade.

Estabelecimento reforça compromisso com a qualidade e seguirá o propósito em servir os clientes com a excelência que sempre norteou o trabalho a mais de 50 anos”

No dia 30 de janeiro de 2024, o juiz Paulo Furtao de Oliveira Filho solicitou o envio de documentos, como o relatório gerencial de fluxo de caixa, relação de bens e direitos e informações sobre débitos trabalhistas, para avaliar o pedido de tutela judicial.

De acordo com o portal Exame, com o deferimento do pedido de recuperação judicial, as execuções e cobranças dos credores da empresa ficaram suspensas por 180 dias.

Ficou determinado que a Deloitte Touche Tohmatsu Consultore será a administradora judicial da recuperação judicial.

O que causou a crise da Cepam?

Como mencionamos brevemente, no ano de 2020, com a pandemia e a queda na demanda, a Cepam precisou tomar empréstimos bancários para pagar funcionários e cobrir os custos de operação.

De acordo com o portal Exame, a empresa chegou a desenhar estratégias para otimizar a produção e honrar os compromissos, mas o alavancamento da operação e as taxas de juro, que subiram ao longo dos últimos anos, atrapalharam os planos da padaria. 

A partir daí, foi o que chamamos de bola de neve.

Segundo declarações da empresa, feitas em meio ao pedido da recuperação: “o prejuízo suportado neste cenário, não poderia ser outro, causando atrasos nos pagamentos de dívidas bancárias, reparcelamentos, retenções de pagamentos por bancos”

Isso sem falar nos problemas com tributos e toda sua movimentação financeira.

Por lógica, as Requerentes não mais conseguiam saldar pontualmente suas dívidas com fornecedores, instituições financeiras e bancárias.

Segundo a empresa, praticamente todo endividamento foi contraído logo no início da pandemia.

A padaria precisou fazer investimentos altos para continuar a funcionar, principalmente por meio de delivery.

Foram contratados, por exemplo, 50 motoboys para fazer as entregas dos pedidos. 

Além disso, uma das épocas de maiores vendas da empresa era a Páscoa. E já no primeiro ano, a Páscoa chegou praticamente um mês após a covid-19.:

“Foram centenas de milhares de devoluções de ovos de Páscoa realizadas pelas grandes redes de super e hipermercados de todos os produtos da Village, pois a devasta maioria das entregas realizadas é na modalidade de consignação, o que gerou um prejuízo gravíssimo para as requerentes

Apenas para se colocar em números, a Páscoa de 2019 contou com uma venda, em número bruto, de R$ 32 milhões, enquanto a Páscoa de 2020 sofreu uma queda de 50%, com valor faturado de R$ 16 milhões. 

Para fechar o ensejo, um dos credores da empresa chegou a pedir falência do grupo ainda em 2023, o que fez com que outros credores corressem para buscar seus créditos, ajuizando ações de execução contra a empresa. 

Vale reiterar NOVAMENTE que, apesar do processo de recuperação ainda estar em andamento, a Cepam segue normalmente com as suas atividades.

🚨 Exclusivo: Bia derruba campeões do BBB e Davi 'afunda' + venda da Globo? + Eliana rival de Portiolli         

NOS SIGA NO INSTAGRAM

Logo do TvFoco

TV FOCO

📺 Tudo sobre TV e Famosos que você precisa saber.

@tvfocooficial

SEGUIR AGORA

Autor(a):

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia e os bastidores das principais emissoras brasileiras. Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ... Atualmente escrevo notícias sobre os últimos acontecimentos do cenário econômico, bem como novidades sobre os principais benefícios e programas sociais.