Novelas

NovelasVale a Pena Ver de Novo

Na pele de Flora, a grande vilã de A Favorita, Patrícia Pillar escancara ‘trauma’ da trama, descubra qual

Patricia Pillar interpreta Flora em A Favorita; ressentida, personagem tem trauma de rejeição (Foto: Reprodução / Globo)
Patrícia Pillar interpreta Flora em A Favorita; ressentida, personagem tem trauma de rejeição (Foto: Reprodução / Globo)

Patrícia Pillar brilhou em “A Favorita”, trama exibida em 2008.

A atriz, Patrícia Pillar mergulhou de cabeça nos sentimentos de Flora durante as gravações da novela “A Favorita”, grande sucesso do horário nobre da Globo em 2008.

A intérprete da grande vilã de “A Favorita”, afirma que nunca mais foi a mesma. Patrícia Pillar ficou marcada pela intensidade do ressentimento da personagem e ainda carrega um “trauma” da cantora sertaneja: a rejeição. No folhetim de João Emanuel Carneiro, a personagem matou Marcelo (Flavio Tolezani), seu amante, quando descobriu que ele não pretendia se separar de Donatela (Claudia Raia).

“Me marcou a força que fica guardada em uma pessoa que não soube lidar com o sentimento de rejeição, que fez o amor pela irmã virar ódio, e e o ódio virar desejo de vingança. Muitas ações violentas são regidas pelo ressentimento. Poder lidar com essa gama tão complexa de sentimentos foi um grande aprendizado para mim”, afirmou Patrícia Pillar, em entrevista enviada à imprensa pela Globo nesta terça-feira (10).

Antes de tentar ficar com o marido da personagem de Claudia Raia, porém, Flora já ambicionava ser como a parceira. A personagem invejava a dondoca desde a infância e tinha desejo por roubar tudo que era dela.

O problema é que o público não sabia disso até a metade da trama, onde inclusive, boa parcela dos telespectadores de “A Favorita”, torciam pela personagem de Patrícia Pillar, onde consideravam Donatela como a verdadeira vilã da trama das nove da Globo.

Veja também

BRINCANDO COM O PÚBLICO

O autor João Emanuel Carneiro que fazia a sua estreia no horário nobre da Globo, resolveu brincar com o público e até a metade de “A Favorita”, ficava a questão: quem é a vilã da história?

“O público tinha de ficar na dúvida sobre a Donatela, sobre o caráter dela. Não é sempre que trabalhamos essa dualidade no personagem e escondemos quem ele realmente é”, relembrou Claudia Raia.

Para Patrícia Pillar, a reprise do folhetim 13 anos depois da exibição original, dará um novo olhar ao telespectador, que terá a chance de assistir a trama já sabendo quem estava falando a verdade. “Assim, as pessoas terão uma compreensão melhor da complexidade de cada uma das personagens”, contou a intérprete de Donatela.

“Eu sou bailarina clássica, aprendi a ter postura desde os três anos de idade. Donatela é o oposto disso. Ela é uma mulher bronca, o que se reflete inclusive na maneira como anda, que é mais bruta”, declarou a atriz da Globo, que teve um grande desafio na composição da personagem.

Patrícia Pillar, por sua vez, precisou visitar um presídio feminino e lutar boxe para dar vida a mãe de Lara (Mariana Ximenes). “Uma pessoa que ficou presa por muitos anos precisa ter essa vivência impregnada em seu corpo e em suas atitudes. Estive no presídio feminino Talavera Bruce, conheci várias detentas, muitas histórias de vida que me ajudaram a entender a dureza que é viver essa experiência”, contou a Flora de “A Favorita”.

A trama voltará ao ar no próximo dia 16 de maio no Vale a Pena Ver de Novo. “A Favorita”, dividirá a faixa da tarde com os capítulos finais de “O Clone”.

Patricia Pillar interpreta Flora em A Favorita e Claudia Raia, interpreta Donatela na trama que retorna no Vale a Pena Ver de Novo (Foto: Reprodução / Globo)
Patrícia Pillar interpreta Flora em A Favorita e Claudia Raia, interpreta Donatela na trama que retorna no Vale a Pena Ver de Novo (Foto: Reprodução / Globo)

 

VÍDEO YOUTUBE: Notícia URGENTE na RedeTV + Fátima Bernardes bate-boca com a Globo

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários