O QUE ESTÁ ACONTECENDO?!

Nova lei divulgada com proibição para entregadores atinge em cheio o i Food, Rappi e mais hoje (09)

09/07/2024 às 6h40

Por: Lennita Lee
Imagem PreCarregada
Novo projeto de lei afeta diretamente plataformas e entregadores do iFood, Rappi e mais, (Foto Reprodução/Montagem/Lennita/Tv Foco/Canva/Ifood/Rappi/Freepik)

Nova lei anunciada atinge em cheio as plataformas de aplicativo como i Food, Rappi e mais e proibição deixa milhares de entregadores em alerta nesta terça (09)

E nesta terça-feira (09), milhares de entregadores das principais plataformas bem como as empresas responsáveis por elas, como o i Food, Rappi e outros, estão em alerta com um novo projeto de lei anunciado.

Conforme exposto pelo portal Terra, ainda em março de 2024, o deputado federal Dorinaldo Malafaia (PDT-AP) protocolou um projeto de lei propondo que os consumidores sejam proibidos de exigirem que os entregadores de alimentos e bebidas subam até a porta de apartamentos para realizarem a entrega.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tal medida também vale para sala comercial ou demais espaços de uso comum em condomínios em que haja necessidade de prévia identificação.

Ficou estipulado por meio dela que a encomenda seja entregue apenas na portaria do condomínio. Vale destacar que além das plataformas citadas acima, a regra também atinge o WhatsApp Business, deliverys por telefone ou até mesmo alguns e-commerce a pronta entrega.

Continua após o Veja Também

Veja também

Entendendo mais sobre essas novas regras

É bom frisar que esse texto cita exceção apenas para consumidores com mobilidade reduzida ou necessidades especiais. Ou seja, somente nesses casos, os trabalhadores poderão fazer as entregas nas áreas internas do condomínio e ainda assim seguindo as regras internas do local.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A lei também exige que as plataformas fixem uma frase sobre o tema dentro do aplicativo: “É proibido ao consumidor exigir do entregador de aplicativo que realize a entrega na porta do apartamento ou escritório”

De acordo com Malafaia essa medida é extremamente necessária pois nos últimos tempos diversos casos de injúrias e lesões corporais contra entregadores de aplicativos foi praticado por consumidores. Segundo o parlamentar a situação é tão absurda que: “por algum motivo, certos consumidores se acham no direito de exigir dos trabalhadores que entreguem a encomenda em suas portas”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora, o projeto que foi apresentado dia 06 de março aguarda o despacho de Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, para tramitação na Casa. 

Anunciando o projeto, o deputado comentou o caso do entregador baleado na perna por um PM após se recusar a subir até o apartamento para levar o pedido, no Rio.

Quem foi o entregador de aplicativo baleado no Rio de Janeiro?

No dia 03 de março de 2024, o policial militar Roy Martins Cavalcanti e a esposa dele fizeram um pedido de comida por aplicativo, que foi entregue por Nilton Ramon de Oliveira. 

Ainda de acordo com o portal Terra, o agente e a mulher teriam se recusado a descer para buscá-la, e o entregador informou que não iria subir até o apartamento deles porque não fazia parte de seu trabalho.

O caso ocorreu na Vila Valqueire, na zona oeste do Rio de Janeiro.

🚨 Globo arranca Ana e Poeta do ar por R$ 450M + Maju fora do Fantástico na surdina + Ratinho defende ex de Iza    

delivery
entregadores
I Food
Plataformas de entrega
Rappi
Lennita Lee

Autor(a):

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida.Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever.Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia e os bastidores das principais emissoras brasileiras.Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ...Atualmente escrevo notícias sobre os últimos acontecimentos do cenário econômico, bem como novidades sobre os principais benefícios e programas sociais.

Botão de fechar
Utilizamos cookies como explicado em nossa Política de Privacidade, ao continuar em nosso site você aceita tais condições.