Celebridades

CelebridadesCinema

O ator Wagner Moura, fala se seu novo filme é uma resposta à Bolsonaro: “Muito maior que isso”

Wagner Moura (Foto: Divulgação)
Seu Jorge com Wagner Moura nas filmagens de “Marighella” (Imagens: Divulgação)

O ator e diretor Wagner Moura deu uma entrevista divulgando seu novo filme “Marighella” que conta a história de um guerrilheiro baiano que recorreu a uma luta armada para combater a ditadura militar e acabou morto em uma emboscada.

+Médico de Bibi Ferreira revela a verdadeira causa da morte da atriz e motivo surpreende todos

“Fiz o filme para os brasileiros assistirem. Não quero reduzi-lo a uma resposta ao Bolsonaro, porque o filme é muito maior a isso. Ele não é uma resposta a nenhum governo em particular, especialmente ao atual. Mas é claro que qualquer obra de arte precisa ter uma conversa com seu próprio tempo. Então, o modo como o filme será recebido no Brasil não pode ser desvinculado da realidade que estamos vivendo”, disse o ator para o “The Hollywood Reporter”.

+Após separação Ex-BBB Gleice posta foto com Wagner cheia de chamego: “Saudade”

“Marighella” foi autorizado a captar R$10 milhões pela “Lei do Audiovisual”, que incentiva as empresas e pessoas físicas patrocinarem produções artísticas. O filme é uma produção da O2 Filmes e não tem previsão de estreia no Brasil: “Sinto que eles [a distribuidora Paris Filmes] estão com medo, o que é uma pena. Se fosse minha a decisão, eu lançaria o filme no Brasil logo depois do Festival de Berlim, mas eu não acho que isso vai acontecer.”, disse o ator.

Veja também

No elenco de “Marighella” ainda estão: Seu Jorge, Adriana Esteves e Bruno Gagliasso.

Cartaz do Filme “Marighella” (Foto: Divulgação)

BOLSONARO IGNORA GLOBO MAIS UMA VEZ E CEDE NOVA ENTREVISTA EXCLUSIVA À RECORD

O atual presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a sua campanha eleitoral, prometeu mudar “muita coisa do que tá aí” no Brasil. Dentre essas modificações, uma coisa ele já conseguiu: transformar a política de entrevistas e relação com a mídia, especialmente com a Globo.

Nesse sentido, a emissora carioca foi deixada de lado em relação a entrevistas e informações exclusivas do novo presidente, o que não acontecia nas gestões anteriores. Isso vem acontecendo desde o início  da campanha, quando o então candidato deu uma entrevista para a Record no mesmo horário em que os demais debatiam na Globo.

Na noite desta quarta-feira (13), Bolsonaro ignorou a Globo mais uma vez, preferindo dar entrevista ao canal paulista. Na conversa, o presidente falou que, se o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência,  estiver envolvido no uso de candidatos do PSL como laranjas na campanha eleitoral de 2018, ele deverá sair do governo

Com apoio público do líder da Igreja Universal e dono da Record, Edir Macedo, ele já deu várias entrevistas exclusivas para a emissora desde a ocasião. Emissora mais beneficiada com essa nova política de Bolsonaro, o canal também foi o responsável por entrevistá-lo na véspera da posse.

Bolsonaro em entrevista à Record (Foto: Reprodução)

VÍDEO YOUTUBE: Sonia Abrão detona Linn da Quebrada após ela exigir respeito de Silvio Santos

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários