Crise

Dono condenado à prisão: O fim de banco, após intervenção do Banco Central e gastar milhões com o Fluminense

08/07/2024 às 8h40

Por: Gabriel Amaral
Imagem PreCarregada
O fim de banco gigante, após estampar a marca na camisa do Fluminense (Reprodução: Montagem TV Foco)

Um dos bancos mais tradicionais do Brasil acabou passando por uma intervenção do Banco Central e fechando as portas. Isso tudo após gastar milhões ao estampar sua marca na camisa do Fluminense

Um banco brasileiro, muito conhecido por todos os brasileiros, inclusive por patrocinar o Fluminense acabou tendo um triste fim. Tudo aconteceu após uma intervenção do Banco Central, em uma época em que já pareciam que as coisas não iriam caminhar para um lado positivo.

Ao longo dos anos, muitas marcas ganham fama e notoriedade, principalmente aquelas que possuem como garoto ou garota propaganda, alguém que está em grande evidência. Nestes casos buscam celebridades que fazem sucesso naquele momento, seja em novelas ou no esporte.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Banco Nacional é um desses casos, quando na década de 1990 passou a patrocinar um dos maiores pilotos de todos os tempos, Ayrton Senna. Nesta época estava desfrutando de seu auge no automobilismo, mas também fez parte do futebol, ao patrocinar clubes como Fluminense e Vasco, na final do Brasileirão de 1984.

Apesar disso, em 1988, de acordo com o portal ‘Revista Financeira’, a instituição já estava passando por problemas financeiros. Inclusive com uma equipe especializada, contratada para tentar reverter a situação.

Continua após o Veja Também

Veja também

Com o grande sucesso que estava fazendo ao estampar a sua marca com Ayrton Senna, o Banco Nacional, assim como todos os brasileiros ficaram tristes e em luto, em 1994. Isso porque foi quando o piloto faleceu em um acidente fatal enquanto corria, na Itália, marcando o fim da trajetória de um tricampeão mundial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Começo do declínio

Após essa triste situação, o banco foi apenas de ladeira abaixo, e, ainda segundo o site, passou por uma revisão, em 1995. O Regime de Administração Especial Temporária do Banco Central identificou problema, que resultou com alguns dirigentes exonerados de seus cargos.

Assim, 33 pessoas tiveram acusações de fraudes em seus nomes, dentre elas o controlador do banco Marcos Magalhães. De acordo com o portal ‘O Globo’, o rapaz recebeu uma pena de 28 anos de prisão em primeira instância, mas depois o tempo caiu para 12 anos, em 2010. Marcos Magalhães faleceu no dia 2 de abril de 2023, aos 87 anos de idade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foram constatados que havia cerca de 650 contas fictícias, que tinham um saldo de cinco vezes maior do que o valor do patrimônio líquido da própria instituição.

Como consequência disso, de acordo com o portal ‘Revista Financeira’, o Banco Nacional teve a sua falência decretada, em 1995, e acabou sendo vendido para o Unibanco. Mais para frente acabou incorporado ao Itaú.

Quando o Banco Nacional foi fundado?

O Banco Nacional, conhecido até os dias de hoje por estampar sua marca em times como Fluminense e Vasco, além de ter Ayrton Senna como garoto propaganda, surgiu em 1944 e teve pouco mais de 50 anos de história.

🚨 Tati Machado titular do Encontro + Estrelas intocáveis da Globo + Datena fora da Band: "Não tem dinheiro"    

Banco Central
Banco Nacional
Fluminense
Gabriel Amaral

Autor(a):

Eu sou Gabriel Amaral, jornalista, formado na Universidade Anhembi Morumbi em 2021. Apaixonado por qualquer tipo de esporte, torcedor do São Paulo e adoro me perder assistindo filmes e séries dos mais variados gêneros e fã da música sertaneja. Faço matérias variadas sobre as celebridades e suas mansões. [email protected]. Minhas redes sociais são:

Botão de fechar
Utilizamos cookies como explicado em nossa Política de Privacidade, ao continuar em nosso site você aceita tais condições.