Colunas Opinião Outro Lado do Paraíso

Por que O Outro Lado do Paraíso foi um fenômeno de audiência

Clara (Bianca Bin) e Sophia (Marieta Severo) em cena de O Outro Lado do Paraíso (Foto: Globo/Rafael Campos)
Clara (Bianca Bin) e Sophia (Marieta Severo) em cena de O Outro Lado do Paraíso
(Foto: Globo/Rafael Campos)

Fenômeno de público no horário nobre da Globo, O Outro Lado do Paraíso chega ao fim nesta sexta-feira (11) disputando com Avenida Brasil e Fina Estampa o posto de melhor ibope da década. Mas, afinal, porque uma trama com história simples e repleta de furos e soluções mirabolantes deu tanta audiência?

Inicialmente, podemos colocar a trama principal, da mocinha Clara (Bianca Bin). É uma clássica história de vingança (baseada em O Conde de Monte Cristo, segundo o próprio Walcyr Carrasco), o que sempre rende bons índices de audiência, assim como aconteceu com Avenida Brasil (2012), onde Nina (Débora Falabella) se vinga da madrasta Carminha (Adriana Esteves).

+ De vingança de Patrick a transsexual: 6 cenas cortadas da novela das nove

Porém, ao contrário do folhetim de João Emanuel Carneiro, O Outro Lado do Paraíso abusou dos furos no roteiro. Neste caso, a audiência pode ser explicada pelo perfil do telespectador que acompanha a novela das nove: 49% é da classe C, e 43% tem mais de 50 anos*. Ou seja: um público que costuma presar mais pelo entretenimento.

Mesmo fugindo da lógica em vários momentos, Carrasco entregou com O Outro Lado do Paraíso o que a audiência das 21h quer ver: uma trama mastigada (que entrega a história sem precisar pensar muito) e cheia de reviravoltas com embate entre vilões e mocinhos.

*Dados do Ibope de março de 2018.

CAUÃ REYMOND SE RECUSA A FAZER TESTE DO BAFÔMETRO E GERA POLÊMICA
SIGA O TVFOCO NO INSTAGRAM E FIQUE POR DENTRO DE TUDO! CLIQUE/TOQUE AQUI.

PUBLICIDADE

Comentários recentes