Celebridades

CelebridadesGlobo

Preocupado, Silvio de Abreu revela segredo essencial para evitar que o gênero novela acabe no Brasil

Silvio de Abreu. (Foto: Reprodução).
Silvio de Abreu foi jurado do “Show dos Famosos”. (Foto: Divulgação)

Silvio de Abreu, autor de novelas clássicas da teledramaturgia brasileira, como A Próxima Vítima, Rainha da Sucata, Guerra dos Sexos e Torre de Babel, além de Passione e Belíssima hoje ocupa um dos maiores cargos dentro da Globo.

Ele é diretor do núcleo de novelas e séries do canal, sendo que divide a parte das séries com Gloria Perez, que recentemente escreveu A Força do Querer.

Em entrevista, ele revelou uma grande preocupação com o gênero novela no Brasil e falou da importância de se revelar e lançar novos autores, coisa que ele realmente vem fazendo de quatro anos para cá.

Silvio de Abreu e Susana Vieira no "Vídeo Show" (Foto: Reprodução/Globo)
Silvio de Abreu e Susana Vieira no “Vídeo Show”
(Foto: Reprodução/Globo)

“Se você não tiver quem escreva, também não vai ter quem represente, quem dirija. É muito importante para todos nós ter novos autores. Não só para a Globo, mas para todos que vivem disso”, falou Silvio. “Se a gente não lançar novos autores, a novela acaba”, justifica.

E acrescentou: “Porque a novela não é só algo que dá prestígio para a emissora, ela também dá trabalho para muita gente. E minha preocupação era realmente com o emprego das pessoas”. Nas contas dele, já foram 17 ‘novos’ autores que estrearam nos últimos anos.

Veja também

E disse mais: “Isso [revelar novelistas] era uma coisa que me preocupava muito. Era algo que não acontecia há muito tempo e que precisava mudar. Porque quem faz as novelas são os autores. É claro que não sozinhos, tem atores, diretores, colaboradores, mas a semente está no texto”, acrescentou.

+ Fechou a fábrica? Juliana Paes diz que não terá mais filhos: “Três é demais”

Ele ainda disse que não escreve roteiros nem capítulos de novelas, mas participa bastante de todo o processo: “Eu não escrevo, mas leio, revejo, colaboro. Continuo fazendo o que gosto, que é contar histórias e lidar com pessoas que eu amo. Tenho um grande prazer no que eu faço hoje e, por isso, não sinto falta de escrever uma novela minha. Acho que, quando a gente faz o que gosta, qualquer trabalho é bom”.

Silvio ainda contou que foi contra a escalação de Vivianne Pasmanter para viver a Germana em Novo Mundo. “Nada contra a Vivianne, que é uma excelente atriz, mas achei estranho. Eu pensava que não ia dar certo. E estava completamente errado”, contou o autor.

“O Vinícius Coimbra [diretor artístico de Novo Mundo] insistiu nela e escalou muito bem, porque ela se saiu otimamente no papel. Nessas escolhas a gente precisa respeitar a cabeça do diretor, a cabeça do autor… Eu não sou impositivo, gosto de escutar a opinião das pessoas, estou ali mais para coordenar tudo”, concluiu Silvio.

E mais: “Se você me perguntar: ‘Você nunca mais vai escrever?’, eu não vou saber responder. Porque não planejei estar fazendo o que faço hoje, e também não planejo o que vou fazer amanhã”, disse o novelista, que atualmente é diretor de Dramaturgia da Globo, em entrevista ao Notícias da TV.

VÍDEO YOUTUBE: Programa da Ivete Sangalo na Globo É DETONADO 

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários