Celebridades

Preta Gil manda indireta, repudia faturamento com público gay e faz revelação bombástica sobre a carreira

Preta Gil (Reprodução/Instagram)
Preta Gil (Reprodução/Instagram)

Preta Gil rasga o verbo e manda recado

Preta Gil é daquelas cantores que não tem medo de se posicionar e muito menos de defender aquilo que acredita. Herdeira do movimento Tropicália, que teve seu pai, Gilberto Gil, como um dos organizadores, a artista atualmente faz questão de levantar a bandeira para qualquer grupo que se sinta excluído, descriminado e marginalizado.

No mercado há quase 15 anos, Preta Gil quase sempre foi destaque por, além de suas músicas de sucesso, defender a causa LGBTQI+ ao falar abertamente da sua liberdade sexual, quebrando tabus, e muitas vezes sendo até vítima de comentários preconceituosos. Em entrevista ao portal Uol, ela esclarece que, desde que ela se entende por gente, seu público foi composto por pessoas como ela, que acreditam que o amor é livre e todos devem ser respeitados, independente da sua condição sexual, do gênero, da classe social e religião.

Tendo o conhecimento do potencial de consumo do público gay, o número de cantoras que levantam a bandeira do arco-íris em seus shows cresceu muito nos últimos tempos —algumas delas são acusadas de mirar o chamado pink money, expressão usada para definir quem fatura em cima do público gay, sem realmente defender os direitos da população LGBTQ+.

“Se outras pessoas tiveram como estratégia, eu não posso falar por elas. Posso dizer por mim. A bandeira da diversidade é o meu DNA. Tudo que estiver fazendo na vida, vou lutar para que os gays, as trans, os negros e todas as pessoas que se sentem oprimidas pela sociedade e de fato são, comigo se sintam abraçadas e exaltadas”, garante Preta Gil, ainda em conversa com o portal Uol.

Preta Gil entre as mulheres transexuais que participam do seu clipe Só o Amor
Preta Gil entre as mulheres transexuais que participam do seu clipe Só o Amor (Foto: Reprodução)

A cantora, filha de Gilberto Gil, ainda assegurou que a diversidade está em seu DNA, tida, para ela, como algo natural. De acordo com  própria Preta Gil, a cantora nasceu em uma família onde a diversidade era a naturalidade da minha criação. Ela criada com tios, tias, parentes, amigos de todas as formações de casais. Heterossexuais e gays sempre conviveram com muita naturalidade no meio da artista.

Barracos, traição e muita fofoca ao vivo no canal do TV FOCO no YOUTUBE. INSCREVA-SE

Sobre o autor

Raquel Souza