TV Foco

Roberto Justus é como um brinquedinho de luxo no SBT

Foi tamanha a pompa feita na contratação de Roberto Justus pelo SBT em meados de 2009. Criou-se uma expectativa muito grande em torno do nome do apresentador, já que existia muito potencial a ser explorado. A promessa da emissora era de usar toda a capacidade e talento de Justus para a criação de programas interessantes atraindo audiência e anunciantes.

O primeiro programa anunciado foi o “Um contra Cem”, formato interessante, vitorioso em diversos países do mundo e que poderia angariar números para a casa. Tudo na teoria. Na prática, como faz com praticamente todos os formatos que o compra – “Solitários” que o diga – o SBT destruiu o programa. A contar pela infeliz escolha da data: foi jogado para às quartas-feiras à noite, disputando com o futebol da Globo e da Band. Um programa com forte público masculino e disputando com programas de público parecido só poderia dar resultados pífios de audiência.

A partir do momento que a atração desagradou, não se sabe ao certo se por decisão da direção do programa ou da própria cúpula, o formato foi se “ajustando” e ficou completamente sem pé nem cabeça.  Começou a ser destruído com a escolha de artistas como participantes.

Sabe aqueles joguinhos estilo dama e gamão? Reúnem-se amigos em casa e começam a jogar por puro passatempo. Foi nisso que se transformou o “Um contra Cem”, um jogo sem graça e que olha apenas para o próprio umbigo. O pior é desperdiçar um dos maiores salários da casa nisso. Roberto Justus tem capacidade para dirigir um programa melhor num dia melhor.

A emissora já adiou para 2011 o projeto de seu outro reality show , “O Grande Desafio”. Aliás, esse novo projeto possui custos altos e será muito difícil que seja aprovado mesmo em outra época. Pelo visto, Roberto Justus terá de se conformar em ser o brinquedinho de luxo de Silvio Santos por mais alguns anos.

Por Daniel César

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Deivison Lima

Escreve sobre Televisão desde 2008