Globo

Tadeu Schmidt começa Fantástico às pressas com tragédia, pedido de socorro e consola colega: “Se acalma”

O Fantástico começou com uma verdadeira tragédia para torcedores gremistas - Foto: Reprodução
O Fantástico começou com uma verdadeira tragédia para torcedores gremistas – Foto: Reprodução

Começando às pressas por causa do futebol, o Fantástico abriu logo com uma tragédia para parte de seu público anunciada por Tadeu Schmidt

Neste domingo (07), mais uma vez, o Fantástico começou em um horário diferenciado, por causa da grande final da Copa do Brasil, que começou a partir das 18h, adiantando o Domingão do Faustão e atrasando alguns minutos da revista eletrônica, que teve que ceder espaço para a comemoração dos jogadores do Palmeiras, campeão.

Quem obviamente não gostou foi o torcedor do Grêmio, que ainda teve que ver Tadeu Schmidt começar o Fantástico às pressas mencionando justamente a maior tragédia do dia para eles: a vitória do time alviverde e derrota do tricolor gaúcho. E quem tava lá para fazer a festa no cenário do Fantástico era justamente o cavalinho do Palmeiras.

Tragédia pra uns…

“A gente começa o Fantástico dando os parabéns ao Palmeiras”, comentou Tadeu Schmidt, ao lado de seu “colega” de fantoche. Ele ainda teve que consolar o cavalinho com o fato de que a primeira reportagem do programa não seria sobre a Copa do Brasil. “A gente tá preparando a reportagem ainda, se acalma”, pediu ele ao cavalinho.

Interação com o cavalinho do Palmeiras no Fantástico – Foto: Reprodução

Depois, Tadeu Schmidt e Poliana Abritta começaram a revelar ao público quais seriam as pautas do dia. Entre elas, obviamente, estava o novo Coronavírus, que vem transformando a situação do Brasil em ainda mais caótica. Os dois anunciaram, inclusive, um pedido de socorro de médicos que lutam de frente na pandemia.

Participe agora do grupo do TV FOCO no Telegram e receba tudo sobre BBB - Clique aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Fernando Lopes

Escreve sobre televisão desde 2013.