Agora

Agora

Fechamento e leilão: O triste fim de Shopping gigante de SP que está abandonado e ninguém quis comprar

Grande Shopping de São Paulo fechou as portas e ficou no mais completo abandono (Foto Reprodução/Montagem/Tv Foco)
Grande Shopping de São Paulo fechou as portas e ficou no mais completo abandono (Foto Reprodução/Montagem/Tv Foco)

Um grande shopping, localizado na cidade de São Paulo, fechou suas portas e acabou tendo um triste desfecho

O ano era de 2012,  quando um grande shopping, localizado em um dos bairros mais tradicionais de São Paulo, fechou as portas deixando o imóvel, aonde ele ficava sediado, no mais total abandono.

Estamos falando do Shopping Capital, que ficava na Avenida Paes de Barros, no bairro da Mooca.

Começou mal

De acordo com o que foi divulgado pelo portal Jornal Extra, essa situação toda se desencadeou após um  desacordo com o limite de área construída permitido pela lei. Para reabrir e obter a autorização da prefeitura, o prédio teria que  passar por reformas.

Vista de cima do Shopping Capital Mooca (Foto Reprodução/ YouTube)
Vista de cima do Shopping Capital Mooca (Foto Reprodução/ YouTube)

O Shopping Capital foi inaugurado em maio de 2006, e desde então o Ministério Público brigava pela sua interdição.

A subprefeitura alegou que o estabelecimento já foi multado em R$ 39,7 mil por causa das irregularidades. O prédio já havia sido lacrado em dezembro de 2007 e novamente em março de 2008, mas continuava funcionando por meio de liminar judicial.

Veja também

Segundo o portal Diário do Comércio, o Shopping Capital começou mal ao abrir sem condições mínimas de higiene e segurança, conforme relatou o advogado Daniel Alcântara Nastri Cerveira.

Havia apenas um banheiro e uma escada rolante funcionando, além da falta de guarda-corpo e corrimão nas escadas. Sem contar a poeira e o barulho das obras, incompletas.

Shopping Capital foi lacrado pela prefeitura (Foto Reprodução/Diário do Comércio)
Shopping Capital foi lacrado pela prefeitura (Foto Reprodução/Diário do Comércio)

Leilão mal sucedido

Outro problema foi o tamanho do shopping, que fez a prefeitura negar a licença de funcionamento e o Habite-se, o que causou esse “abre e fecha” devido a cassação de TODAS as liminares concedidas.

Após duas tentativas de leilão (a última em 2014) com valor estipulado em R$ 135 milhões e sem receber nenhum lance, o empreendimento, que acabou sendo abandonado por lojistas e clientes, e foi lacrado definitivamente.

O Prédio do Shopping Capital chegou a ir para leilão mas não conseguiu nenhum comprador (Foto Reprodução/Folha da Vila Prudente)
O Prédio do Shopping Capital chegou a ir para leilão mas não conseguiu nenhum comprador (Foto Reprodução/Folha da Vila Prudente)

O Ministério Público defendia a demolição da área que excede os 31,546 m2 do alvará inicial da edificação, mas isso nunca aconteceu, pelo menos até agora …

Lojistas insatisfeitos

Fora isso, o que é ainda mais grave, no ano de 2018, ele pois  condenado pelo  Tribunal de Justiça de São Paulo a indenizar um grupo de lojistas em R$ 15 mil a cada envolvido na ação por danos morais.

O motivo foi o não-cumprimento das condições apresentadas na ocasião do seu lançamento, que incluíam heliponto, salas de cinema, lojas-âncora, estacionamento com 3,6 mil vagas e circulação diária de 6 mil alunos da Unicapital, a faculdade construída em anexo ao shopping.

Segundo o Diário do Comércio, além da restituição dos valores gastos para construção e montagem dos espaços, o TJ-SP também determinou o pagamento dos valores pagos a título de “luvas”, desembolsados antecipadamente para garantir a locação, e os pagos a título de aluguel mínimo, atualizados pela correção monetária e juros de 1% ao mês.

 Dr. Daniel Alcântara Nastri sócio do Cerveira Advogados Associados e autor do processo contra a administração do Shopping Capital (Foto Reprodução/Youtube)
Dr. Daniel Alcântara Nastri, sócio do Cerveira Advogados Associados (Foto Reprodução/Youtube)

A decisão, que foi de segunda instância, concedeu a indenização por danos morais que tinha sido indeferida na primeira sentença.

Daniel Alcântara Nastri Cerveira, sócio do escritório Cerveira Advogados Associados foi o autor da ação coletiva em defesa dos oito lojistas, dos ramos de cafeteria, papelaria, venda de celulares, de bijoux e até franqueados de redes como Giraffas e Risotto Mix.

Na ocasião de abertura, a taxa de ocupação era de 72,7% em um total de 125 lojas, segundo dados do processo. Porém, cerca de dois anos depois, essa taxa caiu para 19,2%, ou  seja, apenas 29 lojas ainda funcionavam.

Com o fluxo reduzido, o faturamento dos lojistas foram afetados e, o empreendimento não conseguiu atingir sua plena capacidade de funcionamento.

Estacionamento de Shopping Capital após o abandono do prédio (Foto Reprodução/Folha da Vila Prudente)
Estacionamento de Shopping Capital após o abandono do prédio (Foto Reprodução/Folha da Vila Prudente)

Como está a situação do prédio do Shopping Capital agora?

Fora isso, após ser lacrado, ele foi ocupado no ano de 2015, por famílias de sem-tetos. De acordo com a Folha de S. Paulo,  haviam várias pessoas, inclusive crianças, no seu interior na época.

Um homem, que se apresentou como um dos líderes do movimento e prefere não divulgar o nome, afirmou que a estimativa era que tivesse 80 famílias já estavam instaladas no local, totalizando cerca de 200 pessoas.

Movimento de sem tetos invadiram o imóvel do extinto Shopping Capital, no ano de 2015 (Foto Reprodução/ Folha da Vila Prudente)
Movimento de sem tetos invadiram o imóvel do extinto Shopping Capital, no ano de 2015 (Foto Reprodução/ Folha da Vila Prudente)

Atualmente, em 2023, de acordo com relatos de moradores locais apurados pelo TV Foco, o prédio continua no mais total abandono, com muitos usuários de drogas no entorno e sem nenhum tipo de previsão do que acontecerá com ele.

https://youtu.be/UUFmv2nmXQg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

🚨 Davi é acusado de crime no BBB24 + Susana Vieira na Record + Jovem Pan fora do ar

NOS SIGA NO INSTAGRAM

Logo do TvFoco

TV FOCO

📺 Tudo sobre TV e Famosos que você precisa saber.

@tvfocooficial

SEGUIR AGORA

Quem escreve

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia e os bastidores das principais emissoras brasileiras. Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ... Atualmente escrevo notícias sobre os últimos acontecimentos do cenário econômico, bem como novidades sobre os principais benefícios e programas sociais.