Colunas James Akel

O mistério da compra da Globo

Para evitar queda de audiência no horário político, Globo estuda nova grade de programação
Ninguém tinha coragem de questionar os militares

A TV Paulista foi vendida pra 2 pessoas que depois revenderam a Roberto Marinho, dono da TV Globo Rio. E assim começou a rede. Mas até hoje não existe o aceite do Ministério das Comunicações permitindo esta negociação. Esta negociação foi feita em 65. Mas em 65, Vitor Costa, dono da Rádio Nacional e TV Paulista, já tinha morrido. A família Ortiz, que era dona da maioria das ações da TV Paulista, entrou com ação na Justiça dizendo que não assinou nada da venda pra quem quer que seja. Roberto

Marinho sequer comprou direto, primeiro foram 2 pessoas da mais alta confiança de Roberto Marinho que compraram a TV paulista e revenderam a Roberto Marinho. Um destes 2 que compraram virou assessor de Roberto Marinho até sua morte.  O outro virou dono de uma retransmissora da TV Globo no interior de São Paulo.

Se Vitor Costa, que era conhecido dono da TV paulista morreu em dezembro de 59 e a família Ortiz nada assinou pra ninguém, resta ao Ministério das Comunicações dizer ao povo quem assinou aquela venda misteriosa, onde aparece documento numerado de CIC quando ainda nem existia CIC e o documento foi datilografado numa máquina que a Olivetti só viria a fabricar anos depois. A Justiça sequer se pronuncia.

O Ministério das Comunicações está preocupado em cassar a venda de uma rádio de Alagoas que Eduardo Cunha fez a um pastor sem autorização do ministério, ao invés de mostrar a autorização que deveria ter sido dada a Roberto Marinho pra comprar a TV Paulista em 65. Repito que Vitor Costa morreu em 59 e a família Ortiz nada assinou pra ninguém.

Estávamos no começo do Regime Militar. Ninguém tinha coragem de questionar os militares num caso tão delicado e que todo mundo sabia que o Regime Militar que estava montando a TV Globo pra lhe dar respaldo. Roberto Marinho era homem de confiança do Regime Militar e por isto tinha todas benesses. Os militares na época inclusive conversavam com donos de emissoras pelo Brasil que retransmitiam a TV Record e os convenciam a mudar e retransmitir a TV Globo.

Se aconteceu algo errado em 65 deve vir a conhecimento de todas as pessoas interessadas. Que a família Marinho fala acordo com a família Ortiz e a indenize. Ou que o Ministro das Comunicações deixe de prevaricar igual fizeram todos seus antecessores e casse a TV Globo de São Paulo e coloque em leilão a concessão.

james akel opiniãoObs: as opiniões expressas neste artigo não correspondem, obrigatoriamente, as do site TVFoco, sendo de total responsabilidade do colunista.

Curta o TV Foco no Facebook!

PUBLICIDADE