Angélica

Angélica detona guerra com Xuxa e Eliana e expõe realidade: “A gente não se falava e deixava tomar conta”

Angelica concedeu entrevista exclusiva para a Revista Quem (Foto TV Globo)
Angélica concedeu entrevista exclusiva para a Revista Quem (Foto TV Globo)

Em entrevista para a revista Quem, Angélica comentou sobre a rivalidade com Xuxa

Aos 46 anos, Angélica declarou em entrevista concedida para a Revista Quem sobre a rivalidade com Xuxa e Eliana: “Não éramos inimigas, mas aquela mentira da rivalidade se tornava uma verdade. A gente não se falava e deixava esse movimento tomar conta”.

A apresentadora deixou em panos limpos seu posicionamento após ter passado boa parte da carreira sendo colocada em uma eterna rivalidade feminina de loira Vs loira. Angélica diz que deixou essa rixa ir adiante, mas hoje questiona as comparações que recebia principalmente pelos homens não sofrerem da mesma rivalidade, como por exemplo Silvio Santos, Gugu e até Faustão.

A apresentadora declarou apoio ao movimento feminista, mas lamentou que o machismo não venha só dos homens mas também de mulheres: “Não cabe mais uma mulher falar da outra, não cabe mais aceitar como a gente aceitava naquela época”, disse Angélica.

+ Carlos Alberto, após anúncio de traição brutal, fica diante de reviravolta e prova esclarecedora vaza

+ Gusttavo Lima derruba inimigo na Globo e tem volta decretada ao canal, após guerra e vingança: “Confirmado”

+ Renata Vasconcellos leva mãos ao rosto e vira as costas para Bonner após descontrole ao vivo: “Deboche”

Angélica comentou sobre a rivalidade feminina criada pelo machismo patriarcal da época: “A mulher ficou com o estigma de não gostar uma da outra. Isso foi criado em decorrência do machismo estrutural que vivemos. Quando falamos em machismo, não falamos só de homens, não. Tem muita mulher machista por aí. Isso está caído, não e? Bem caído.”

A apresentadora ainda afirmou sobre como hoje em dia é mais fácil resolver esses conflitos com a ajuda da internet e que a nova geração esta vivendo um momento com mais igualdade como, por exemplo, o modo como sua filha Eva se vê diante dos meninos da escola e dos irmãos: “Os “pré-conceitos” da nossa geração que nem passam pela cabeça deles, tanto da Eva, como dos meninos. Para os adolescentes, a igualdade de gênero é muito natural. Para nós, às vezes, ainda espanta”.

Confira a audiência detalhada de todas as novelas da Globo semana a semana aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Fabricio Miranda