Celebridades

CelebridadesRecord

Apresentadora da Record revela que sofreu assédio sexual durante o trabalho: “Fiquei assustada”

Adriana Araújo, apresentadora do "Jornal da Record" (Foto: Reprodução/Record)
Adriana Araújo, apresentadora do “Jornal da Record” (Foto: Reprodução/Record)
Adriana Araújo, apresentadora do "Jornal da Record" (Foto: Reprodução/Record)
Adriana Araújo, apresentadora do “Jornal da Record”
(Foto: Reprodução/Record)

Apresentadora do “Jornal da Record”, Adriana Araújo revelou que sofreu assédio sexual enquanto trabalhava. Ela conta que ficou assustada, mas que decidiu não denunciar por temer ser julgada.

Em entrevista ao “Programa do Porchat” desta segunda-feira (07), a jornalista revelou o assédio que sofreu de um político brasileiro enquanto trabalhava em Brasília e relatou como tudo aconteceu. “Nunca falei publicamente sobre isso. Em 2005, no auge do mensalão, eu tinha feito ancoragem ao vivo a tarde inteira e depois eu tinha que fazer entrevistas para repercutir. Eu fui atrás do líder do governo, eu tava numa saleta esperando por ele, entrou uma liderança da base de menor patente, quando ele se viu sozinho comigo numa salinha pequena, me emparedou contra uma divisória, veio pra cima de mim tentando me beijar a força e dizendo palavras de cunho sexual grosseiras, violentas”, disse.

Adriana contou como saiu daquela situação: “Na hora eu fiquei tão assustada, mas ao mesmo tempo eu me senti com tanto medo que eu tinha que ter uma reação para sair daí, porque eu estava sozinha com ele, o cinegrafista não tinha chegado para gravar a entrevista com o líder, eu tava com microfone na mão, consegui colocar a mão no peito dele para empurrar e eu lembro exatamente as palavras que eu disse que foi minha salvação: ‘o seu partido está numa difícil demais hoje para o senhor se vê envolvido num escândalo de assédio sexual’. Olhei para ele muito brava, tremendo por dentro e falei: ‘nunca mais se aproxime de mim'”.

+ Bispos da Record censuram e mandam cortar série jornalística do canal

A apresentadora do “Jornal da Record” disse que, no mesmo dia, quanto terminou o trabalho, contou tudo para sua chefe em Brasília, que propôs ajudá-la a denunciar na polícia e na mídia, mas ela recusou. “Nesse momento não. Eu não queria naquele momento que era já tão difícil, um escândalo político tão grande. Eu temi também o julgamento, as pessoas dizem: ‘quer aparecer. Tá falando porque quer aparecer’. O preconceito não vem só dos homens, também vem das mulheres”, declarou.

Veja também

Confira o relato de Adriana Araújo, na íntegra, no vídeo abaixo.

VÍDEO YOUTUBE: Mulher de GOLEIRO BRUNO IMPLORA ajuda em VAKINHA para evitar prisão dele: 'Não temos dinheiro'

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários