Chico Pinheiro

Chico Pinheiro

Chico Pinheiro expõe briga na Globo, escorraça após demissão e faz apelo por novo trabalho: “Virar Uber”

Chico Pinheiro vive relação discreta com jornalista e é flagrado com grande amor em bastidores da Globo
Chico Pinheiro revelou que tem planos para trabalhar como Uber (Foto: Divulgação/ Globo)

O jornalista relembrou os seus conflitos com a direção da Globo após deixar a emissora

Chico Pinheiro rompeu o silêncio após sua demissão repentina da Globo na última sexta-feira, 29. O veterano falou sobre alguns momentos delicados de sua passagem na emissora carioca e projetou o seu futuro profissional em diferentes áreas.

O ex-âncora do Bom Dia Brasil conversou com Cristina Padiglione, colunista do F5, horas depois de Ali Kamel, chefão de jornalismo da Globo anunciar a saída do veterano em um comunicado interno.

Chico comentou sobre um de seus escândalos na emissora carioca, quando teve um áudio vazado em prol do ex-presidente Lula, o que causou uma grande tensão no departamento de jornalismo e culminou até na sua saída do rodízio de âncoras do Jornal Nacional.

Questionado por Padiglione sobre os desentendimentos que teve com a direção da Globo, Chico Pinheiro negou que defenda algum partido em especifico e que seus posicionamentos públicos sempre foram institucionais.

“Às vezes eu causava sustos, digamos. Cheguei a chamar de golpe, no Bom Dia Brasil, a comissão formada para o processo de impeachment da Dilma, que era liderada pelo Eduardo Cunha, deputado cassado pouco depois do impeachment. Eu disse textualmente: ‘Não vejo nenhuma autoridade moral nessa comissão de Eduardo Cunha porque todos os envolvidos estão com suspeitas de corrupção. Como eles querem ter autoridade para cassar uma presidenta democraticamente eleita? Isso é golpe. Ninguém aí tem autoridade moral pra isso'”, escorraçou o jornalista, que seguiu.

Veja também

“É uma defesa em nome das instituições, não de fulano ou beltrano. É a defesa da civilização contra a barbárie”, concluiu ele.

CHICO PINHEIRO CONSIDERA TRABALHAR COM POLÍTICOS OU COMO MOTORISTA DE APLICATIVO

Chico Pinheiro
Chico Pinheiro falou sobre o seu futuro fora da Globo (Foto: Divulgação/Globo)
Já sobre os próximos caminhos de sua carreira após 32 anos na Globo, Chico Pinheiro diz que tem planos para assessorar políticos, mas que sua profissão ideal seria como motorista de aplicativo.
“Vou ter um tempo pra me refrescar. Como diz aquela música dos Beatles, estou ‘Free as a Bird’. Eu me sinto livre como um pássaro. Se não for pra lugar nenhum, tem duas coisas que posso fazer: um escritório de media training para empresários e parlamentares, como já fiz em BH em 1988. Atendia quatro clientes por semana, com duas horas diárias para cada um em um curso de dez horas. Ou posso virar Uber”, iniciou ele, antes de fazer um apelo para que seja um motorista ‘patrocinado’.

“[…] pegar o meu carro e virar Uber ou motorista de outro aplicativo, mas teria que ter um patrocínio, porque esse negócio da Uber de tratar motorista como empreendedor sem as condições mínimas, não dá. Mas eu adoraria rodar pela cidade, cada hora pegar uma pessoa que eu não sei pra onde vai e ouvir a história dela. Adoro dirigir, adoro ouvir histórias e adoro rodar pela cidade”, seguiu Chico Pinheiro, detalhando como seria a nova profissão.

“Não dou cafezinho nem água, mas estou disposto a ouvir essas pessoas todas. Pego um no aeroporto: ‘Onde é que você vai?’ ‘Cemitério São João Batista’. Vou só ouvindo. ‘Vou fechar um negócio das arábias’, ‘Vou encontrar alguém’, aí já tem uma história de amor. Vou ouvindo tudo isso e depois registro no meu diário de bordo pra contar essas histórias anonimamente, sem identificar ninguém. É uma ideia”, finalizou o veterano.

VÍDEO YOUTUBE:  Léo Dias DESMASCARA Samantha Schmütz: "Deu nota falsa e fuma maconha"

Quem escreve

Erick Martins

Recém formado em jornalismo, costumo escrever sobre programação de TV, esportes, bastidores e tudo que engloba o mundo dos famosos de maneira leve e direta.

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários