Celebridades Globo

Contratados da Globo falam sobre censura na emissora: “golpista”

Casseta & Planeta
Elenco de Casseta & Planeta esteve em programa na rádio (Foto: Divulgação)

Elenco do Casseta & Planeta esteve na Jovem Pan e relembrou o auge do programa que fez sucesso na Rede Globo

Nesta terça- feira, 15 de outubro, parte do elenco do Casseta & Planeta se reuniu no Programa Pânico na Rádio, na Jovem Pan, e relembrou algumas polêmicas do programa de humor que fez história na Rede Globo.

Beto Silva, Helio de la Penha, Hubert Aranha e Cláudio Manoel (Marcelo Madureira não compareceu), trupe do Casseta & Planeta, marcaram presença e comentaram sobre a mudança no humor com o decorrer dos anos.

“A paródia de Chocolate com Pimenta nós já alteramos. Hoje é Afrochocolate com Pimenta ou Cacau Descendente…”, ironizou Hélio de la Penha, que comentou também sobre a importância do “lugar de fala”.

“É difícil eu chegar aqui, desse jeito [magro], e falar que tal pessoa é gorda. Fica estranho”. disse Hélio, que logo foi interrompido por Cláudio Manoel aos risos: “Mas piada com gordo e loira ainda pode!”, disse o humorista.

Ao ser questionado sobre uma possível censura da Globo ao Casseta & Planeta na época do governo do ex Presidente Lula (PT), Cláudio Manoel comentou: “Qualquer lugar que você trabalha tem uma relação de princípios. As pessoas de fora perguntavam para gente como a Globo deixava aquilo, e as pessoas de dentro da Globo também. Na época do PT [do governo Lula], o que rolava, mesmo sem um contato direto com os caras, era gente falando, em Brasília, do que acontecia nos países vizinhos. ‘Olha lá o que fizeram na Argentina, desmembraram o Clarín [jornal argentino]’. Falavam em Venezuela, bolivarianismo e tal… A gente respondia dizendo que eram todos bundões, que ninguém ia fechar a Globo. A gente recebia muito recado”, disse ele.

O humorista ainda destacou que durante o auge das investigações em torno do governo do PT, a emissora carioca orientou que o Casseta & Planeta parasse com as alusões políticas em seus episódios. “Travaram a questão da política na ideia de que o jornalismo tinha que correr solto. Já o entretenimento ao entrar nessa pauta… […] Na verdade quando mudou foi por conta do Lula, que inicialmente disse não saber de nada sobre.o escândalo [do Mensalão]. Depois a narrativa mudou. Aí virou ‘mídia golpista’. Aí depois disso, para se defender, a Globo travou a gente”

“Limitado mesmo era quando envolvia marcas. Só agora que a Globo voltou. E também existiam as brincadeiras envolvendo marcas de outras emissoras. E foi meio por conta disso que a gente inventou as organizações Tabajara!”, completou Beto Silva.

Sobre os limites do humor, Cláudio Manoela ponderou: “O limite da brincadeira quem coloca é o próprio humorista. É o limite dele. Na TV aberta até pode ter mais controle, mas em shows menores… […] A liberdade de expressão é inversamente proporcional à quantidade de público que você tem. Exposição. O que f**** foi o celular. E isso porque tira-se o contexto. Quem fica chateado é quem não estava onde a piada foi feita. Ou seja: um público ao qual a piada não foi destinada”, disse o integrante do Casseta & Planeta.

Confira a audiência detalhada de todas as novelas da Globo semana a semana aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Aloizio Júnior

Aloizio Júnior ingressou na faculdade de Direito, mas é encantado por Medicina e hoje em dia é um vestibulando. Falar sobre TV sempre foi um hobby e faz isso desde 2008. Atento sobre todas as novidades no mundo da TV, entrou para a equipe do TV Foco em agosto de 2012.