BOMBA

Intervenção do Banco Central, falência e venda ao Bradesco: O fim de 3 bancos populares no Brasil após anos

01/06/2024 às 23h10

Por: Kelly Araújo
Imagem PreCarregada
O fim de 3 bancos populares no Brasil (Foto: Reprodução/ Internet)

3 bancos populares no Brasil fecharam as portas e clientes ficaram em choque

Abrir um negócio não é uma das tarefas mais fáceis do mundo. Isso porque uma série de situações pode levar ao fim de uma grande empresa. Nessa matéria, por exemplo, falaremos sobre o fim de 3 bancos populares no Brasil que chegaram ao fim por diferentes motivos, inclusive, falência.

Siga o Tv Foco no Telegram

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Telegram

Logo de cara, começaremos falando sobre o fim do Banco Nacional. A instituição financeira era tão famosa, que patrocinava ninguém mais, ninguém menos que o eterno Piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna. Segundo informações da Wikipédia, a empresa também foi um dos anunciantes do Jornal Nacional em 1969.

A instituição surgiu em 1944 pelos irmãos José e Waldomiro Magalhães Pinto. A estratégia da marca sempre foi investir em esportes, colocando seu símbolo no uniforme de Vasco e Fluminense nos jogos finais do Campeonato Brasileiro de futebol de 1984. Mas, o Banco Nacional acabou enfrentando problemas.

Banco Nacional (Foto: Reprodução/ Internet)
Banco Nacional foi a falência (Foto: Reprodução/ Internet)

Assim, ele foi à falência em 1995. “A imagem que temos de um banco é de algo ruim, que nos cobra no final de cada mês, mas o Nacional conquistou posição interessante principalmente quando originou o nome do Jornal Nacional”, diz Marcelo Boschi, professor de branding da ESPM-RJ, segundo a revista Exame.

Siga o Tv Foco no WhatsApp

Receba nossas notícias diretamente no seu WhatsApp


Outra instituição financeira que fechou as portas foi o Banco Mercantil e Industrial do Paraná S/A, muito conhecido como Bamerindus. Entretanto, a instituição acabou no ano de 1997, quando sofreu uma intervenção do Banco Central. Diante do colapso, uma parte do banco foi incorporada pelo HSBC, e a outra parte, pelo BC.

Veja também

Bamerindus teve sua massa falida comprada por rival (Reprodução: Internet)
Bamerindus teve sua massa falida comprada por rival (Reprodução: Internet)

Aliás, citaremos a falência do Banco Santos. De acordo com informações do portal ANEPS, a instituição faliu em 2005. Na ocasião, o juiz Caio Marcelo, da 2ª Vara de Recuperações e Falências, decretou a falência do Banco Santos. O pedido de falência tinha sido feito pelo promotor de Justiça Alberto Camiña Moreira.

Ainda falaremos do HSBC Brasil. O banco britânico chegou ao nosso país em 1997 com planos bastante ambiciosos, entre eles se tornar o maior banco privado nacional. Contudo, as estratégias adotadas pela instituição financeira não deram muito certo. Aos poucos, a situação foi ficando bastante complicada.

Em 2014, segundo informações do portal Época, o banco fechou o ano com prejuízo de R$ 549 milhões. Diante dos resultados pífios e para evitar uma possível falência, o HSBC Brasil decidiu vender suas operações do Brasil para o Bradesco e foi embora do país. Mas, os negócios não pararam nisso.

No ano de 2015, de acordo informações do portal G1, do Grupo Globo, o Bradesco anunciou a compra do HSBC por US$ 5,2 bilhões (o que na época equivalia a R$ 17,6 bilhões) em dinheiro. Eles compraram 100% das operações do HSBC Brasil, mas a conclusão do negócio só aconteceu mesmo em 2016.

HSBC
No Brasil, o HSBC foi comprado pelo Bradesco por R$ 16 bilhões, antes de uma possível falência (Foto: Divulgação)

Na época, entre as ações que o Bradesco teria que adotar, ele teria que estimular os novos clientes, presentes nas 106 cidades do país, a transferir operações de crédito (como empréstimos pessoais) para outros bancos. A compra acabou deixando o Bradesco entre as maiores instituições privadas do país.

Qual a diferença entre falência e recuperação judicial?

Ambos os institutos têm como objetivo a satisfação de dívidas de uma empresa. Contudo, a principal diferença está na continuidade ou não do empreendimento. No caso da recuperação judicial, se ganha tempo para recuperar a capacidade de gerar resultados na empresa.

🚨 Mani faz a fila andar? Globo toma estrela do SBT antes de Eliana + Marrone internado  

Autor(a):

Eu sou Kelly Araújo, formada em Biologia pelo IFCE e atualmente estudo Engenharia de Produção Civil na mesma instituição. Escrevo sobre televisão e o universo dos famosos desde o ano de 2014. Sou apaixonada por falar sobre os bastidores da TV, gosto de acompanhar a vida dos famosos nas redes sociais e amo assistir um reality show de confinamento. Minhas redes são: Email: kelly.araujo@otvfoco.com.br

Utilizamos cookies como explicado em nossa Política de Privacidade, ao continuar em nosso site você aceita tais condições.