DEU RUIM?!

Jogou a toalha hoje (20/3): Montadora GIGANTE assusta CLIENTES e se prepara para comunicar falência cruel


Montadora gigantesca se prepara para o pior e falência iminente aterroriza clientes (Foto Reprodução/Montagem/Lennita/TV Foco/ Canca/Fisker/Freepik)

Grande montadora jogou a toalha e aterroriza clientes com falência iminente

Atualmente o mercado automobilístico, no geral, tem investido cada vez mais em tecnologia e performance a fim de acompanhar as necessidades atuais e, ao mesmo tempo, contribuir por um mundo mais sustentável.

Dado a isso, nós temos um cenário aonde quase todas as montadoras do mundo investem em carros elétricos e tecnológicos.

Que além de oferecer o melhor em desempenho e economia, ainda trás um vislumbre de uma sociedade mais consciente.

Só para ter uma leve noção, a emissão de gás carbônico ou dióxido de carbono (CO2) é responsável por cerca de 60% do aquecimento global, uma das maiores preocupações ambientais em todo o mundo.

E a queima de combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, para o transporte urbano é uma das principais fontes de geração do CO2 que vai até a atmosfera.

Veja também

De acordo com o portal Tenda, o uso de carros elétricos para mobilidade reduzem até 68% dessa poluição causada por veículos movidos à combustível.

O que faz com que esse tipo de transporte nos possibilite um horizonte mais animador em relação ao atual cenário, não é mesmo?

Porém, infelizmente, uma montadora voltada à esse tipo de veículo está se preparando para o pior, ao jogar a toalha e comunicar a respeito de uma possível falência cruel.

O que aterrorizou milhares de clientes …

Estamos falando da Fisker, uma das montadoras norte-americanas mais hypadas dos últimos anos.

Em queda livre …

Pois é, de acordo com a NeoFeed, após o sucesso da Tesla, as empresas de carros elétricos passaram a lutar pela sua sobreviver e o caso da Fisker é mais um deles …

Lutando para expandir suas vendas em meio a um mercado com demanda estagnada, a montadora fundada ainda em 2016 contratou a FTI Consulting e o escritório de advocacia Davis Polk para se preparar para uma possível recuperação judicial, conforme apurou o jornal The Wall Street Journal.

Mas esses problemas não são grandes novidades …

No mês de fevereiro de 2024, a  Fisker emitiu um comunicado informando sobre “dúvidas substanciais” a respeito de sua capacidade de permanecer operando e que negociava com outros investidores a fim de obter injeção de recursos.

A empresa também chegou a afirmar que ainda no fim do ano de 2023 registrou um um prejuízo de US$ 762 milhões, um aumento de 39,2% em relação a 2022, segundo dados preliminares.

Inclusive a dívida da montadora ultrapassou o valor substancial de US$ 1 bilhão no ano passado.

Para piorar ainda mais o cenário, a possibilidade de um pedido de recuperação judicial está derrubando as ações da Fisker no pós-mercado da Bolsa de Nova York (NYSE).

Em 2024, as ações da companhia acumulam queda de 81,1%, levando o valor de mercado a US$ 190 milhões.

Desde que abriu capital, em 2020, por meio de uma Special Purpose Acquisition Company (SPAC), a Fisker apresenta uma desvalorização de mais de 97%.

Apesar do Hype …

Apesar de carros elétricos ter passado por um grande “frenesi” entre consumidores, essa queda da Fisker evidencia um momento delicado para carros elétricos.

Afinal de contas temos um cenário de extrema estagnação da demanda fora a pressão competitiva entre demais montadoras.

Vale mencionar que até carros já existentes estão sendo repaginados para uma tecnologia híbrida ou 100% elétrica, o que expande ainda mais essa gama de rivais.

Outro fator é que muitas dessas empresas também não conseguiram viabilizar a produção em massa de seus veículos.

Segundo um levantamento feito pelo próprio WSJ, em dezembro de 2023, mostra que ao menos 18 startups do setor que abriram capital entre 2020 e 2022, muitos por meio de Spacs, correm o risco de ficar sem dinheiro até o fim deste ano.

Das 43 empresas que realizaram IPO no período, cinco faliram ou foram adquiridas.

O fato é que se a Fisker de fato entrar com esse pedido de recuperação judicial, será o  segundo colapso de uma montadora criada pelo ex-designer Henrik Fisker, que também é responsável por carros da BMW e da Aston Martin.

Vale lembrar que a sua primeira companhia, a Fisker Automotive (mesmo nome da atual), entrou com pedido de proteção judicial em 2013.

A montadora começou a entregar seus primeiros carros aos compradores americanos em junho, justamente quando os primeiros sinais de desaceleração do mercado ficaram evidentes.

Ao invés de investir em uma fábrica própria, a Fisker terceirizou a produção do Ocean SUV, o único dos quatro veículos disponíveis ao público, para uma empresa chamada Magna Steyr, localizada na Áustria.

O objetivo era manter os custos sob controle. No entanto, logo na partida, a empresa teve dificuldades em levar os veículos produzidos para os consumidores nos Estados Unidos.

A Fisker também precisou lidar com atrasos em aprovações regulatórias, problemas com peças para os carros e diversas saídas de executivos da alta cúpula.

Diante dessas dificuldades, a Fisker se viu obrigada a cortar  15% do quadro de funcionários. No mês passado, a montadora admitiu que não conseguiu atingir a meta de 13 mil unidades, fabricando pouco mais de 10 mil carros.

Como está o mercado de carros elétricos no Brasil?

Em contrapartida, o Brasil registrou um recorde nas vendas de veículos elétricos em 2023, chegando a 94 mil unidades, quase o dobro do volume de 2022.

Mas uma grande fatia das vendas corresponde a montadoras chinesas, que fizeram fortes investimentos no Brasil nos últimos meses.

Para 2024, a expectativa é de consolidação do setor, incluindo avanço também no transporte público. Mas também aparecem desafios no panorama, como o descarte das baterias de lítio e as disputas das potências pelo mercado.

🚨 BBB24: Davi ameaçado por aliado + Real motivo do surto de Alane + Portiolli em gu3rra com Huck    

NOS SIGA NO INSTAGRAM

Logo do TvFoco

TV FOCO

📺 Tudo sobre TV e Famosos que você precisa saber.

@tvfocooficial

SEGUIR AGORA

Autor(a):

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida.Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever.Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia e os bastidores das principais emissoras brasileiras.Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ...Atualmente escrevo notícias sobre os últimos acontecimentos do cenário econômico, bem como novidades sobre os principais benefícios e programas sociais.