Celebridades

CelebridadesNego do Borel

Nego do Borel, após acusação de transfobia, vive crise na carreira e perde contrato com produtora e empresário; assessoria se pronuncia

Nego do Borel vive crise na carreira desde quando se envolveu em uma polêmica com Luisa Marilac (Foto: Reprodução)
Nego do Borel vive foi acusado de agredir a atual namorada (Foto: Reprodução)
Cantor Nego do Borel vive crise na carreira desde quando se envolveu em uma polêmica com Luisa Marilac (Foto: Reprodução)
Nego do Borel vive crise na carreira desde quando se envolveu em uma polêmica com Luisa Marilac (Foto: Reprodução)

Nego do Borel vive má fase em sua carreira e tem grandes baixas

O cantor Nego do Borel viu a sua carreira mudar totalmente depois que se envolveu em uma polêmica com Luisa Marilac, em setembro do ano passado, onde foi acusado de transfobia. Primeiro no final do ano passado, ele perdeu o seu contrato com a Sony Music, após 4 anos de parceria, e agora ele sofreu mais uma baixa, foi dispensado pelo empresário Tuka Carvalho, ex-namorado da cantora Anitta.

+Mulher diz qual foi sua reação ao descobrir que seu ex está namorando com Lady Gaga

+“Boa coisa não é”, guerra de Sasha e avó é escancarada e tem direito a briga judicial, falência e desdém

Nego do Borel entrou para a empresa comandada por Tuka Carvalho, a Arca A, após o episódio polêmico com Luisa Marilac, com o objetivo de um gerenciamento de crise e um novo rumo profissional. A parceria chegou ao fim após seis meses.

A assessoria de imprensa do cantor procurou o TV FOCO e por meio de nota esclareceu:

Veja também

“O cantor Nego do Borel, através de sua assessoria de imprensa, esclarece que ao contrário do que tem sido divulgado na imprensa na manhã desta sexta-feira 28 de fevereiro, não houve nenhum tipo de rompimento de contrato com a empresa Arca A, representada pelo empresário Tuka Carvalho e outros dois sócios.

Com novos planos para sua carreira em 2020, o funkeiro apenas abriu a sua agenda para vendas de shows em todo o Brasil sem nenhuma exclusividade com qualquer empresa. Fato, inclusive informado ao jornal responsável pela propagação da notícia, que após procurar a assessoria do cantor, já havia sido informado a respeito.

Nego do Borel reconhece a importância desta parceria, que embora profissional não teve nenhum contrato formal assinado. E tem enorme carinho e respeito pelo empresário e sua empresa, que tiveram um papel importante na produção do seu recém lançado DVD, entre outros trabalhos que vinham fazendo juntos.

“Tenho plena consciência sobre tudo o que representei para a empresa, e sobre o tamanho do que representaram não só para a minha carreira. Nossa parceria continua, apenas segue em outro formato. Acho que os veículos precisam se informar melhor antes de sair dando nota. Os leitores merecem notas verdadeiras” conclui o artista.”

Calote

Recentemente o funkeiro que também se apresenta em festas de 15 anos, foi acusado de dar calote em uma advogada, que contratou um show do cantor para a festa da sua filha, o cantor cobrou um cachê alto, mas, acabou não comparecendo ao show. O contrato foi feito com três meses de antecedência e ao todo foi pago 60 mil reais ao cantor.

Fuzil

Recentemente, Nego do Borel apareceu em seu perfil no Instagram, em uma foto digamos polêmica, na mesma ele aparece usando um colete à prova de balas, ao lado de uma loira, que aparece segurando um fuzil. Na ocasião, ela aparece vestida com roupa de exército. Já no fundo da imagem é possível ver um rapaz todo de preto, também com um colete à prova de balas, segurando um fuzil e apontando para o horizonte. A foto faz parte da divulgação da nova música do funkeiro, ‘Vida de Bacana’.

Publicação de Nego do Borel sobre a gravação do clipe Vida de Bacana (Foto:
Publicação de Nego do Borel sobre a gravação do clipe Vida de Bacana (Foto: Reprodução)

VÍDEO YOUTUBE: Barraco! Leonardo é DETONADO por João Guilherme

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários