Esportes

Saiba qual a emissora preferida dos brasileiros para ver a Copa

Copa do Mundo se aproxima (Foto: Divulgação)
Copa do Mundo se aproxima (Foto: Divulgação)

Está chegando mais uma edição da Copa do Mundo que, como sempre, promete parar o país no dia em que os jogos serão exibidos. E a TV é a única forma pelo qual milhões de brasileiros irão ver os jogos, já que o mundial acontecerá na Rússia e poucos possuem condições financeiras suficientes para embarcarem rumo ao país.

E uma pesquisa feita pela MindMiners, empresa brasileira responsável por pesquisas digitais, revelou qual será a emissora preferida dos brasileiros para assistir aos jogos. Sem surpresa, a Globo foi o canal escolhido por 2 em cada três brasileiros.

+SBT vai à justiça e pretende entrevistar Lula direto da prisão

Não é um número que deve causar tanta surpresa, já que o canal carioca é o único detentor dos direitos do mundial na TV aberta. Quem quiser uma alternativa à Globo, terá que investir em uma assinatura na TV fechada.

A empresa ainda analisou outros aspectos, como as empresas mais lembradas pelos brasileiros quando o assunto é Copa do Mundo. A lista é encabeçada pela Nike (39%) e seguida por Adidas (14%) e Coca-Cola (6%) no top 3.

COPA PROMOVE SE VIRA NOS 30

Se você acha que um evento como a Copa do Mundo só muda a programação das TV’s quando os jogos estão acontecendo, está muito enganado. Nesta segunda-feira (14), por exemplo, um evento importante relacionado ao mundial deve movimentar as emissoras.

É que o técnico Tite vai anunciar os jogadores que serão convocados para os jogos da Copa, um dos momentos mais aguardados no período em que antecede o evento esportivo. De acordo com o jornalista Flávio Ricco, as emissoras devem se “virar nos 30” para transmitir o anúncio.

Isso porque a convocação está marcada para as 14h, horário em que a programação das TV’s brasileiras estão voltadas ao entretenimento. Ou seja, deve ser feita uma alteração ou até plantões para exibir o anúncio dos convocados.

TV Foco no Youtube

Sobre o autor

Fernando Lopes

Escreve sobre televisão desde 2013.