Colunas

Tsunami na estreia de Apocalipse serviu apenas para mostrar efeitos

Novela Apocalipse chegou recheada de efeitos especiais (Foto reprodução)
Novela Apocalipse chegou recheada de efeitos especiais (Foto reprodução)

Na noite desta terça-feria, 21 de novembro, a Rede Record estreou sua nova novela, Apocalipse, cercada de muita expectativa, principalmente pela grande divulgação.

Mais uma vez o relógio da Record parece girar diferente dos demais. Anunciada com estardalhaço para às 20h30, Apocalipse foi começar mesmo com vinte minutos de atraso, dando espaço ao horário político obrigatório e depois ao último bloco de Belaventura. Afinal, o que a emissora pretende ao enrolar o telespectador desta forma? Se o objetivo era bater de frente com O Outro Lado do Paraíso, fracassou, a única coisa que fez foi perder público, uma vez que além de mentir o horário poderia ter se beneficiado por ser uma alternativa ao Jornal Nacional.

Uri (Phelipe Gomes) em cena de tsunami no primeiro capítulo de Apocalipse (Foto: Munir Chatack/Record)
Uri (Phelipe Gomes) em cena de tsunami no primeiro capítulo de Apocalipse
(Foto: Munir Chatack/Record)

A cena do tsunami serviu apenas para impressionar quem viu, usada de forma completamente equivocada nesse momento. O telespectador nem teve chance de conhecer melhor a família dos afetados pela catástrofe já que em poucos minutos depois do início tudo estava inundado. A cena foi bem produzida, mas pouco explorada, não houve uma carga emocional durante a cena, não houve a tentativa de sobreviver ou sequer de encontrar as vítimas, não teve emoção, os atores nem pareciam estar diante de um tsunami que acabaria com suas vidas, já seguiu direto para o velório das vítimas. Um ponto muito negativo, visto que produzir esse tsunami custou caro para a emissora e foi tão mau aproveitado.

Outro momento que não foi feliz nesse primeiro capítulo foi o áudio do ator Sérgio Marone que interpreta o anti-cristo. Em vários momentos não se conseguia entender o que ele dizia, prejudicando os telespectadores mais desavisados que não conhecem a trama.

Os personagens Elisa, Jonathan e Uri fogem de tsunami no primeiro capítulo de Apocalipse (Foto: Munir Chatack/Record)
Os personagens Elisa, Jonathan e Uri fogem de tsunami no primeiro capítulo de Apocalipse
(Foto: Munir Chatack/Record)

De forma geral temos um produto de qualidade em nossa tela. Diante de tantos atores tivemos um número adequado de personagens apresentados no primeiro dia. A cena da perseguição dos carros foi muito bem produzida e passou adrenalina do começo ao fim. O envolvimento do casal que irá gerar Ricardo (Sérgio Marone), aconteceu de forma bastante enigmática. A abertura, juntamente com Belaventura e Escrava Mãe, já são uma das melhores da emissora, faltou apenas um instrumental que transmitisse mais emoção, afinal estamos diante do Apocalipse, não dá para ser tão “frio” desta forma.

+ Moacyr Franco revela salário e se pronuncia sobre demissão do SBT: “estão me usando como lenha”

Esse foi apenas o primeiro capítulo dos mais de 170 que devem vir por aí, afinal a emissora adora esticar os episódios. A novela tem tudo para crescer na audiência e recuperar os bons índices de Os Dez Mandamentos, desde que a autora não pese demais a mão. Lembre-se, o que faz uma trama é a história, de nada adianta efeitos poderosos com personagens e enredo ruim, um dos ingredientes do sucesso da trama de Moisés era a esperança por um dia melhor, e que venha bons dias para Apocalipse.

Por Maurício Freitas
Contato: mauriciotvfoco@gmail.com

As opiniões aqui retratadas não refletem necessariamente a posição do TV Foco, e são de total responsabilidade de seu idealizador!

Participe agora do grupo do TV FOCO no Telegram e receba tudo sobre BBB - Clique aqui

Siga o TV FOCO no Google Notícias e receba as informações bombásticas da TV e dos famosos em primeira mão - Clique Aqui!

Sobre o autor

Maurício Freitas