Celebridades

Celebridades

Carlos Alberto, completamente desolado, vai a público e explica o motivo de se calar diante da morte de Jô Soares

Carlos Alberto chora ao falar sobre morte de Jô Soares

+Ex-garçom do Jô Soares embarga voz e desaba em lágrimas ao falar de apresentador: “Eu vi o sofrer” 

+“Olha só”, Cátia Fonseca expõe Marcos Mion, dá recado e apresentador se envolve: “Vocês fizeram” 

Em vídeo publicado nas redes sociais, Carlos Alberto explicou o motivo de não ter falado nada sobre a morte de Jô

Carlos Alberto de Nóbrega apareceu nas redes sociais aos prantos para responder do porque não ter aceitado responder entrevistas e perguntas sobre a morte de Jô Soares.

O humorista revelou: “Eu chorei a morte do maior gênio que surgiu na televisão brasileira”, em alguns vídeos publicados no instagram.

Carlos Alberto revelou que não queria demonstrar em público seu choro pelo amigo e queria sentir a dor em silêncio: “Quero que vocês entendam uma coisa: eu fiz uma troca. Eu troquei as dezenas de pedidos de entrevista pelo silêncio. Eu queria que o meu choro fosse só meu”.

Veja também

Jô Soares, grande amigo de Carlos Alberto, faleceu nesta sexta-feira (5) (Foto: Reprodução)
Jô Soares, grande amigo de Carlos Alberto, faleceu nesta sexta-feira (5) (Foto: Reprodução)

Carlos Alberto ainda refletiu: “Porque a vida não é só sucesso, não é só dinheiro, é o que a gente planta, são as amizades que a gente tem. Eu chorei a morte do maior gênio que surgiu na televisão brasileira. Não conheci ninguém mais culto que o Jô”.

O apresentador de ‘A praça é nossa’ relembrou dos momentos hilários que viveu ao lado de Jô e das histórias marcantes dos dois:

“Eu falei: ‘vou devolver e se eles não aceitarem vou dar uma surra. e sabe o que o Jô falou? ‘Eu vou sentar em cima dele’. Ele tinha 150 quilos na época”, relembrando da época em que comprou um carro quebrado.

NA DITADURA

Carlos Alberto relembrou como foi difícil escapar dos militares que queimavam os livros na época da ditadura e como Jô foi importante nisso:

“Eu chorei pela ditadura que não permitia que se lessem determinados livros que eles queimavam. E várias vezes eu ligava para a casa do Jô e dizia: ‘olha, os homens estão procurando livros’. Eu tinha um carro com porta-malas grande e os escondia lá. Dias depois trazia de volta”

VÍDEO YOUTUBE: ⚠️ Simaria PROIBE Simone em sua casa e cantora reage

Quem escreve

Bruno Zanchetta

O Jornalismo é a minha vida e está presente nas 24 horas do meu dia. Quando você consome uma informação e se preocupa que ela seja verídica, isso é jornalismo, quando você compartilha uma informação verdadeira, é jornalismo, quando você ensina sobre políticas sociais e consciência de classe, jornalismo. Eu particularmente sou um completo apaixonado por Jornalismo Esportivo, sou narrador e quem sabe um dia vocês ouvirão minha voz na sua televisão ou no seu rádio.

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários