Celebridades

Celebridades

Jornalista da Globo vai parar em app de pegação e revelações vêm à tona

Logo da Globo (Foto: Reprodução/Globo)
Globo
Logo oficial da Globo (Foto: Reprodução)
Logo oficial da Globo (Foto: Reprodução)

O jornalista Márcio Canuto, da Globo, foi parar em um aplicativo de sexo e pegação, o Tinder. No entanto, não é nada que vocês imaginavam. A conta é fake e foi criada por ele mesmo para ensinar os conceitos do termo “fake news”, que faz com que as pessoas acreditem em notícias falsas.

Após perder reality show, ex-BBB decide se candidatar a Deputado Federal pelo PSC

Ele, que é casado, explicou aos telespectadores do telejornal local SP1, nesta quarta-feira (1º), as orientações para que ninguém caia em boatos como esse. Foi mostrado, a partir daí, a edição do falso print por meio de um designer gráfico, que apareceu editando a foto em questão para o app.

Sophia Abrahão erra feio no Vídeo Show e é corrigida por ex-BBBs

Disposta a orientar o público a não cair em boatos, a Globo colocou um de seus repórteres mais carismáticos em um aplicativo de sexo, chamado na reportagem de “site de relacionamento”, para explicar como são criadas as “fake news” (“notícias falsas”, em inglês).

Veja também

Márcio Canuto. (Foto: Reprodução/TV Globo)
Márcio Canuto. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Na imagem, ele diz ter 50 anos, quando na verdade tem 72, e ainda disse ser “mestre de bateria”. “Olha eu em um site de relacionamento com essa aparência! Bonitão! Eu nunca nem passei perto de um site desse!”, brincou ele ao longo do programa. Confira a foto:

Jornalista usou a sua imagem (Foto: Reprodução)

CANTOR DETONA JESUS

O cantor Johnny Hooker se envolveu em uma polêmica na última sexta-feira (27), durante um dos seus shows, quando saiu em defesa de um monólogo chamado Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, no qual o personagem principal é interpretado pela artista transexual Renata de Carvalho.

Johnny Hooker (Foto: Divulgação)

Censurado judicialmente por desembargadores e a Ordem dos Pastores Evangélicos, o espetáculo ganhou a defesa de Johnny, que disparou: “E se Jesus voltasse agora à terra como uma travesti? Não era para amar ao próximo como a si mesmo? Estamos aqui num festival de falso viva à liberdade”.

“Pois, eu quero dizer que Jesus também é travesti”, completou ele, que levantou um coro entre a multidão, dizendo: “Ih ih ih, Jesus é travesti”. Parte do público, no entanto, vaiou a situação e o cantor disparou: “Enfia a vaia no c*”. Após toda a situação, ele agora é ameaçado de ser preso.

Jornalista critica música de Pabllo Vittar e cantora se revolta: “Ela é tão irrelevante”

O advogado Jethro Ferreira, da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas, prestou queixa dizendo que o artista ofendeu os cristãos infringindo as leis penais, alegando que “as pessoas que professam a fé cristã têm a pessoa de Jesus Cristo como uma pessoa do sexo masculino, heterossexual”.

“Qualquer afirmativa diferente desses dogmas é considerada uma ofensa à fé cristã”, disparou ele, alegando ainda que se baseia no artigo 20 da Lei Federal nº 7.716.

Johnny Hooker (Foto: Reprodução)

Segundo tal lei, quem “pratica, induz ou incita a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” está sujeito a uma pena de reclusão de um a três anos e multa.

Já segundo o 280 do Código Penal, “escarnecer de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa, impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso, vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” pode levar de um mês a um ano de detenção ou multa.

Segundo o Diário de Pernambuco, o advogado pede a instauração de um inquérito policial para apurar o caso, com designação de um delegado especial, oitiva de testemunhas, realização de perícias e interrogatório do cantor Johnny Hooker, que poderá ter a prisão preventiva caso não compareça à polícia.

VÍDEO YOUTUBE: ⚠️ Simaria PROIBE Simone em sua casa e cantora reage

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários