Fez História

Fez História

Tragédia mata 55 pessoas, incluindo atriz da Globo e emissora entra com plantão ao vivo com imagens exclusivas

Tragédia mata atriz da Globo (Foto: Divulgação)
Tragédia mata atriz da Globo (Foto: Divulgação)

Acidente de barco deixa 55 pessoas mortas, incluindo Yara Amaral, atriz da Globo

Na coluna ‘Fez História’ deste domingo (24), vamos falar sobre uma tragédia na virada do ano de 1988 para 1989, no Rio de Janeiro, que matou a atriz da Globo, Yara Amaral.

Para quem não se recorda, o barco Bateau Mouche IV afundou na Baía de Guanabara e deixou 55 vítimas, incluindo a atriz global, que não sabia nadar. A embarcação, com cerca de 150 passageiros, estava indo em direção à praia de Copacabana, onde iam assistir a queima de fogos do Réveillon.

Exatamente às 23h50 do dia 31 de dezembro de 1988, o barco afundou entre a Ilha de Cotunduba e o Morro da Urca, por conta do excesso de pessoas na embarcação.

Acidente no barco Bateau Mouche IV (Foto: Divulgação)
Acidente no barco Bateau Mouche IV (Foto: Divulgação)

SOBRE A ATRIZ YARA AMARAL

A artista morreu aos 52 anos de idade. Inclusive, sua mãe Elisa da Silva Amaral também estava no barco e morreu aos 73 anos.

Yara Amaral esteve em várias produções da emissora Globo, como ‘Dancin Days’, ‘O Amor é Nosso’, ‘Sol de Verão’, ‘Guerra dos Sexos’, ‘Anos Dourados’, ‘Cambalacho’ e outros.Seu último papel na televisão foi na novela ‘Fera Radical’, de 1988.

Veja também

Além disso, a atriz da Globo também é muito lembrada por seus trabalhos no teatro, principalmente por aquele que marcou o início de sua carreira, o irônico ‘Réveillon’, que inclusive lhe rendeu o Prêmio Molière.

Yara Amaral, atriz global (Foto: Divulgação)
Yara Amaral, atriz global (Foto: Divulgação)

Um fato curioso, é que Yara Amaral chegou a convidar os filhos para o passeio, mas, Bernardo e João Mário, que na época tinham 16 e 14 anos, acabaram indo passar a virada de ano na casa dos amigos.

“Entrei em choque. Custei a acreditar que havia perdido, de uma só vez, minha mãe e minha vó. As feridas se fecharam, mas as cicatrizes ficam. Desde então, evito viajar no réveillon. Gosto de ficar em casa, recolhido. Não quero estragar a festa de ninguém”, disse Bernardo Amaral, que hoje tem 49 anos, durante uma entrevista.

COBERTURA DA GLOBO

Na época, o trágico acidente tomou conta do noticiário da televisão durante algumas semanas.

O que era para ser apenas um dia de comemoração e coberturas sobre os festejos da virada de ano, acabou sendo dividido com as informações sobre o acidente do barco Bateau Mouche.

O caso estampou várias capas de jornais e revistas e a própria emissora Globo, que foi a primeira a chegar no local do acidente, fez uma intensa cobertura do caso. Além dos plantões, a Globo fez uma abertura com imagens exclusivas, principalmente no ‘Fantástico’ e no ‘Jornal Nacional’.

Após todo o acontecido, o jornal impresso ‘Notícias Populares’ divulgou que outros artistas, como Sérgio Mamberti e Yolanda Cardoso, também tinham sido convidados para a ocasião, mas acabaram cancelando o compromisso.

MAIS SOBRE O ASSUNTO

Em meio ao luto, a população se revoltou e conforme surgiam as revelações de que havia inúmeras irregularidades com o barco Bateau Mouche IV, e que a tragédia, que antes parecia apenas uma fatalidade, sinalizava como um caso de negligência.

Além disso, o caso se tornou uma verdadeira batalha judicial, afinal, muitos sobreviventes e familiares dos que morreram na tragédia entraram na Justiça contra a empresa.

Vale ressaltar que até os dias atuais, o caso continua sem resolução. Apenas uma pessoa recebeu indenização e ninguém foi preso.

VÍDEO YOUTUBE: Reviravolta! Ana Maria é cortada na Globo + Fim do SBT com baixa audiência

Quem escreve

Sophia Gonçalves Villanueva

Me chamo Sophia Villanueva, tenho 23 anos e me formei em Jornalismo em 2020 na Universidade Metodista de São Paulo. Sou curiosa e adoro escrever sobre entretenimento e o mundo dos famosos. Meu maior sonho é crescer no mundo jornalístico e ganhar espaço no mercado de trabalho.

TV Foco AO VIVO Acompanhe

Comentários

Nossa política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Ler comentários